CASA DO GAIATO

Auditoria da Segurança Social denuncia maus tratos e clima de “isolamento, repressão e clausura”

O Jornal Público dá conta de uma auditoria realizada pela Segurança Social à Casa do Gaiato onde se conclui que existem indícios de maus-tratos, psicológicos e físicos, e se descreve o ambiente da instituição como sendo de "isolamento, repressão e clausura".

O relatório final da auditoria, elaborado pela Inspecção-Geral do Ministério da Segurança Social, diz que a maioria das 482 crianças, jovens e adultos, acolhida pela Casa do Gaiato - Obra do Padre Américo, deverá viver em grande sofrimento por ter sido abandonada pelo família e por não gostar de viver na instituição, onde "abundam o trabalho, a disciplina e os castigos", escreve o diário.

O Público adianta que face à gravidade da situação detectada, o ministério da Segurança Social mandou cessar a entrega de crianças à Casa do Gaiato e criou várias comissões.

Numa nota enviada ao jornal Público, o gabinete do ministro da Segurança Social, Fernando Negrão, sublinha que o ministério "continua a acompanhar a situação (à) através da inspecção-geral e tomará todas as medidas necessárias para salvaguarda do bem-estar das crianças e jovens, nomeadamente através do acompanhamento por equipas técnicas junto de cada casa" da Obra.

O jornal conta que desde 1996 o Ministério Público instaurou contra à Casa do Gaiato de Setúbal 11 processos, que acabaram todos arquivados.

Ver notícia no Jornal Público

 

Data de introdução: 2004-11-20



















editorial

DIREITOS DAS PESSOAS IDOSAS

(...) O envelhecimento humano é um dos únicos fatores naturais que interligam a todos; torna-se primordial o respeito à vida e à dignidade humana, o que é responsabilidade do poder público, mas também de todos os...

Não há inqueritos válidos.

opinião

ANTÓNIO JOSÉ DA SILVA

Os populistas e o descrédito do populismo
Nas últimas semanas, foram muitas as notícias protagonizadas por políticos que cultivam aquilo que vulgarmente se chama populismo, um vírus que vem marcando fortemente a vida...

opinião

JOSÉ A. DA SILVA PENEDA

Ensinamentos da pandemia
Vivemos um tempo único, que toca a todos e em todo o mundo. De repente, mudaram-se hábitos, atitudes, comportamentos e formas de pensar. Instalou-se a incerteza, a angústia, o medo e,...