SAÚDE

Em todo o mundo morrem mais de 500 mil mulheres em trabalhos de parto

Um estudo da Organização Mundial de Saúde (OMS) revela que a falta de parteiras, especialmente nas nações mais pobres do planeta, é responsável pela morte de milhares de crianças e bebés em todo o mundo.

Estimativas da organização indicam que apenas 61 por cento dos partos mundiais são apoiados por profissionais médicos, incluindo parteiras, um valor que é urgente "aumentar rapidamente" para colmatar as elevadas taxas de mortalidade.

Anualmente morrem em todo o mundo mais de 500 mil mulheres em trabalhos de parto. Joy Phumpahi, vice-director geral de Saúde Comunitária e Familiar da OMS, relembra que o problema é bastante mais grave nas zonas mais pobres: o apoio médico é dado a 90 por cento dos partos nos países riscos, mas apenas 37,5 por cento das mães na Ásia e 33,6 por cento em África têm essa assistência.

"Há complicações de grande risco em 15 por cento de todos os nascimentos e para a mãe e para o bebé o apoio de um profissional médico pode representar a diferença entre a vida e a morte", explicou aos jornalistas em Genebra. "É um problema que mata mais pessoas nos países pobres do que qualquer outra coisa nos países desenvolvidos", explicou.

A OMS estima que os países em desenvolvimento necessitem de mais 330 mil pessoas qualificadas em obstetrícia, sem as quais é impossível conseguir o objectivo de cortar em dois terços as taxas de mortalidade materna, até 2015.

Parte do problema deve-se ao elevado número de técnicos qualificados de países pobres que procuram melhores condições no estrangeiro e emigram, deixando os seus sistemas nacionais ainda mais deficitários. Um recente estudo da Organização Internacional de Migrações (OIM), em seis países africanos, indica que entre 30 e 70 por cento dos funcionários médicos quer sair do seu país.

 

Data de introdução: 2004-11-18



















editorial

XXII GOVERNO CONSTITUCIONAL

(...) Sendo o Sector Social e Solidário um importante pilar do Estado Social e o principal agente na proteção social direta, estranha-se o quase desconhecimento da cooperação no programa do Governo já que as anteriormente citadas e...

Não há inqueritos válidos.

opinião

JOSÉ A. DA SILVA PENEDA

Sobre um pensamento de JORGE DE SENA
Este ano comemora-se o centésimo aniversário de Jorge de Sena que nos deixou uma obra colossal. É da sua autoria a seguinte frase: “A verdadeira dimensão do humano...

opinião

ANTÓNIO JOSÉ DA SILVA

América Latina: de novo em foco
Houve tempos em que a América Latina constituía um tema importante e recorrente no espaço que os Meios de Comunicação dedicavam à vida política...