MIRA DE AIRE

População e entidades locais financiam novo lar de associação de apoio a idosos

O novo lar de idosos, em Mira de Aire, concelho de Porto de Mós, foi custeado apenas com o apoio dos moradores e das entidades locais, sem recurso a qualquer financiamento estatal. "A obra custou 600 mil euros e não tivemos qualquer apoio estatal", disse à Agência Lusa Eugénio Lopes, presidente da direcção da Associação de Amparo Familiar de Mira de Aire. "Tínhamos umas instalações antigas, que já não apresentavam condições adequadas, e só agora é que conseguimos ter a obra nova", que terá capacidade para acolher os 32 utentes que a instituição cuida.

Além destes idosos, a associação presta apoio domiciliário a 63 outros utentes, explicou Eugénio Lopes, salientando que a instituição constitui o "maior apoio social" para a população mais velha da sede daquela freguesia serrana do concelho de Porto de Mós.

Para a construção do edifício, a associação contou com um apoio de 80 mil euros da Câmara Municipal de Porto de Mós e 2.500 da Junta de Freguesia de Mira de Aire, cabendo a parte restante à população, que se "uniu em campanhas de angariação".

O edifício, com cerca de 1.300 metros quadrados de área coberta, irá ser a nova sede da associação que serve mais de 10.700 refeições e mais de 7.800 lanches por ano.

O envelhecimento da população e o isolamento de muitos idosos nas suas casas são algumas das preocupações da direcção desta associação. "Precisamos de reforçar o apoio aos mais idosos que ainda estão em casa", até porque esse "número tem tendência para aumentar", disse Eugénio Lopes.

A inauguração está prevista para este domingo, 10 de Fevereiro, com um almoço volante que deverá contar com mais de 600 pessoas.

08.02.2008

 

Data de introdução: 2008-02-08



















editorial

Confiança e resiliência

(...) Além disso, há um Estado que muito exige das Instituições e facilmente se demite das suas obrigações. Um Estado Social não pode transferir responsabilidades para as Instituições e lavar as mãos quanto...

Não há inqueritos válidos.

opinião

José Leirião

A necessidade de um salário mínimo decente
Os salários, incluindo os salários mínimos são um elemento muito importante da economia social de mercado praticada na União Europeia. Importantes disparidades permanecem...

opinião

JOSÉ A. DA SILVA PENEDA

Muitos milhões de euros a caminho
O País tem andado a ouvir todo um conjunto de ideias com vista a serem aproveitados os muitos milhões de euros provenientes da Europa. Sobre o que é preciso fazer as coisas parecem...