A Cáritas Diocesana promove, nos próximos dias 16 de Maio (Terça-feira) e 20 de Maio (Sábado), das 10h00 às 17h00, no Salão da Casa Nossa Senhora do Carmo, em Fátima, um seminário sobre a Encíclica “Deus Caritas Est”, orientado por Borges de Pinho e Marinho Antunes.

A organização lança um apelo: “É importante fazer deste Seminário um grande contributo da Caritas para que a acção social e caritativa beneficie do impulso dado por Bento XVI, com a publicação da Encíclica, no sentido da prática organizada da caridade nas comunidades cristãs. Dêem, por favor, a maior divulgação possível a este evento, cuja participação não está circunscrita aos colaboradores da Caritas”.

PROGRAMA

1. UMA LEITURA TEOLÓGICA

1.1. Elementos de fundamentação e explicitação teológicas

1.1.1. Deus amou-nos primeiro: A existência humana à luz do amor preveniente de Deus Criador e Salvador
1.1.2. O ser humano realiza-se pela abertura ao outro e pela doação de si mesmo: o viver humano como caminho de purificação e elevação
1.1.3. Jesus, o amor encarnado de Deus: a centralidade evangélica do amor a Deus e ao próximo
1.1.4. A Igreja, ícone da Trindade e família de Deus no mundo

1.2. Dimensão eclesial da caridade e suas expressões

1.2.1. A caridade no coração da identidade e missão da Igreja
1.2.2. Justiça e Caridade: por onde passam as missões específicas da Igreja e do Estado
1.2.3. Expressões sociais e políticas da caridade (consciência pessoal e comunitária)
1.2.4. O amor será sempre necessário: A caridade como sinal de credibilidade do anúncio de Deus


2. UMA LEITURA SÓCIO-PASTORAL

2.1. O serviço da caridade na estrutura da Igreja

2.1.1. O serviço da caridade é um dos três deveres essenciais da Igreja; na família de Deus ninguém deve sofrer por falta do necessário
2.1.2. O amor do próximo é, antes de mais, um dever de cada fiel; mas a Igreja, enquanto comunidade, também deve praticar o amor: tal precisa de organização, enquanto pressuposto para um serviço comunitário ordenado
2.1.3. O ofício diaconal e as diaconias na Igreja: virtualidades e consequências sócio-pastorais de uma “sugestão” do Papa

2.2. A organização do serviço da caridade

2.2.1. Questões sócio-pastorais da relação entre empenho em prol da justiça e serviço eclesial da caridade
2.2.2. Natureza e perfil específico das organizações e da actividade caritativa da Igreja no actual contexto social
2.2.3. Os responsáveis da acção caritativa da Igreja, e o perfil espiritual e humano dos colaboradores que realizam, a nível prático, o trabalho caritativo na Igreja.

Documentação completa, incluindo ficha de inscrição, disponível em formato Word 

 

Data de introdução: 2006-05-01



















editorial

Compromisso de Cooperação

Visando reforçar a parceria entre Governo Português e Setor Social e Solidário foi celebrado no dia 3 de Maio o Compromisso de Cooperação 2017-2018. 

Não há inqueritos válidos.

opinião

PADRE JOSÉ MAIA

Depoimento...
Acompanhei, com a maior atenção, a cerimónia pública (apesar de pouco publicitada pela comunicação social) da assinatura do COMPROMISSO DE COOPERAÇÃO...

opinião

ANTÓNIO JOSÉ DA SILVA

Os riscos dos referendos
Aparentemente, o regime político perfeito seria aquele cuja prática fosse sempre a da democracia directa. Na impossibilidade comprovada de isso acontecer, sobra o recurso à...