A Cáritas Diocesana promove, nos próximos dias 16 de Maio (Terça-feira) e 20 de Maio (Sábado), das 10h00 às 17h00, no Salão da Casa Nossa Senhora do Carmo, em Fátima, um seminário sobre a Encíclica “Deus Caritas Est”, orientado por Borges de Pinho e Marinho Antunes.

A organização lança um apelo: “É importante fazer deste Seminário um grande contributo da Caritas para que a acção social e caritativa beneficie do impulso dado por Bento XVI, com a publicação da Encíclica, no sentido da prática organizada da caridade nas comunidades cristãs. Dêem, por favor, a maior divulgação possível a este evento, cuja participação não está circunscrita aos colaboradores da Caritas”.

PROGRAMA

1. UMA LEITURA TEOLÓGICA

1.1. Elementos de fundamentação e explicitação teológicas

1.1.1. Deus amou-nos primeiro: A existência humana à luz do amor preveniente de Deus Criador e Salvador
1.1.2. O ser humano realiza-se pela abertura ao outro e pela doação de si mesmo: o viver humano como caminho de purificação e elevação
1.1.3. Jesus, o amor encarnado de Deus: a centralidade evangélica do amor a Deus e ao próximo
1.1.4. A Igreja, ícone da Trindade e família de Deus no mundo

1.2. Dimensão eclesial da caridade e suas expressões

1.2.1. A caridade no coração da identidade e missão da Igreja
1.2.2. Justiça e Caridade: por onde passam as missões específicas da Igreja e do Estado
1.2.3. Expressões sociais e políticas da caridade (consciência pessoal e comunitária)
1.2.4. O amor será sempre necessário: A caridade como sinal de credibilidade do anúncio de Deus


2. UMA LEITURA SÓCIO-PASTORAL

2.1. O serviço da caridade na estrutura da Igreja

2.1.1. O serviço da caridade é um dos três deveres essenciais da Igreja; na família de Deus ninguém deve sofrer por falta do necessário
2.1.2. O amor do próximo é, antes de mais, um dever de cada fiel; mas a Igreja, enquanto comunidade, também deve praticar o amor: tal precisa de organização, enquanto pressuposto para um serviço comunitário ordenado
2.1.3. O ofício diaconal e as diaconias na Igreja: virtualidades e consequências sócio-pastorais de uma “sugestão” do Papa

2.2. A organização do serviço da caridade

2.2.1. Questões sócio-pastorais da relação entre empenho em prol da justiça e serviço eclesial da caridade
2.2.2. Natureza e perfil específico das organizações e da actividade caritativa da Igreja no actual contexto social
2.2.3. Os responsáveis da acção caritativa da Igreja, e o perfil espiritual e humano dos colaboradores que realizam, a nível prático, o trabalho caritativo na Igreja.

Documentação completa, incluindo ficha de inscrição, disponível em formato Word 

 

Data de introdução: 2006-05-01



















editorial

Qualidade e Qualificação

O que quer que se faça nas Instituições de Solidariedade, seja ao nível dos processos de gestão, seja ao nível dos recursos humanos ou doutros recursos, não constitui um fim em si mesmo, mas sim instrumentos para atingir o fim...

Não há inqueritos válidos.

opinião

PADRE JOSÉ MAIA

Dignidade e Direitos Humanos
Vivemos tempos conturbados em que a supremacia do poder económico e financeiro sobre o poder político se vai impondo, atirando para as periferias da pobreza e das várias...

opinião

ANTÓNIO JOSÉ DA SILVA

Estados Unidos e Rússia: uma relação menos clara
Nos anos que mediaram entre o fim segunda guerra mundial e o desaparecimento da União Soviética, as relações entre a Rússia e os Estados Unidos foram sempre muito claras....