COVID-19

UDIPSS-LEIRIA alerta para esgotamento dos recursos humanos nos lares de idosos

A presidente da União Distrital das Instituições Particulares de Solidariedade (IPSS) de Leiria alertou para o esgotamento dos recursos humanos afetos aos lares de idosos e considerou que estas entidades souberam responder à pandemia de covid-19.

"Em relação aos lares, estas estruturas residenciais nunca foram fechadas. As IPSS souberam gerir muito bem, fizeram equipas em espelho, redefiniram horários e serviços e os moldes em que os faziam. A maior consequência é o esgotamento dos recursos humanos. As pessoas estão cansadas, física e psicologicamente", afirmou à agência Lusa Carla Verdasca.

Segundo a dirigente, "acresce que no caso de um trabalhador de um lar que tenha de se ausentar, por exemplo devido a isolamento profilático, há dificuldade na substituição" dessa pessoa, seja "cozinheiro, auxiliar, diretor ou pessoal médico ou de enfermagem".

A também psicóloga da Associação de Propaganda e Defesa da Região da Batalha, que tem uma IPSS, reconhece que estas entidades estão "a trabalhar com muitos procedimentos que mudaram, mas souberam adaptar-se e mostraram que estão à altura do desafio".

"Com mais pressão, mais esgotamento, com mais preocupação, devido à progressão que a pandemia tem registado", reconheceu Carla Verdasca.

Assinalando que "para os idosos o mais negativo da pandemia é o facto de estarem isolados das famílias", a dirigente contrapôs, por outro lado, o maior risco que apresentam, "atendendo às patologias e idade", pelo que "são pessoas mais vulneráveis ao contágio da doença e em aguentar a doença".

Carla Verdasca adiantou que foram registados, entre as 138 IPSS associadas da União Distrital de Leiria, "casos isolados de covid-19 e surtos, infelizmente com perdas", salientando que estas instituições "continuam aptas a corresponder e a combater a pandemia".

A presidente da União Distrital das IPSS de Leiria deseja agora que os idosos "sejam todos vacinados" contra a covid-19, defendendo que as pessoas "com mais de 65 anos deviam ser prioritárias na vacinação, independentemente de haver ou não patologias associadas".

"O que eu desejo é que as vacinas tragam esperança de que já faltou mais para isto terminar. Acredito que vamos andar com muito medo durante muito tempo, mas para mim a vacina tem muito a palavra esperança", adiantou.

 

Data de introdução: 2021-01-07



















editorial

PILAR EUROPEU DOS DIREITOS SOCIAIS

No âmbito da presidência portuguesa da União Europeia, a 7 de maio, no Porto, decorrerá a Conferência de Alto Nível da Cimeira Social. A Conferência constituirá uma ocasião para os Chefes de Estado e de Governo, as...

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA, PRES. CONF. PORT. DO VOLUNTARIADO

Uma promissora Cimeira Social da União Europeia
Em novembro de 2017, em Gotemburgo, na Suécia, foi aprovado um documento da mais alta relevância para a coesão social da União Europeia: O Pilar Europeu dos Direitos Sociais....

opinião

JOSÉ A. DA SILVA PENEDA, ECONOMISTA

A Região Norte e o país
O meu artigo de hoje aborda como o Norte do País deveria ser tratado pelo poder político para bem do todo nacional. Quando se pensa numa estratégia de desenvolvimento de um país...