COVID-19 - TESTEMUNHO UDIPSS VIANA DO CASTELO

Luz ao fundo do túnel?

Com o intuito de traçar um retrato da situação das IPSS a nível nacional perante a pandemia do novo coronavírus, fica o testemunho dos responsáveis pelas diversas estruturas intermédias da CNIS.
Assim, aos dirigentes das Uniões Distritais e das federações da área da Deficiência que integram a CNIS foram colocadas duas questões sobre o momento atual.

FILOMENA ARAÚJO, UDIPSS Viana do Castelo.

1 – Que balanço faz da pandemia nas IPSS do distrito?

"O distrito de Viana do Castelo, estando no norte do país, tem resistido a esta pandemia. Ao longo do mês e meio de confinamento, assistimos a comportamentos e atitudes por parte de instituições, serviços e população, que muito orgulham as gentes de Viana. As dificuldades foram e são muitas, desde a falta de EPI até aos testes de rastreio. Vimos a comunidade empenhada em apoiar as nossas IPSS com gestos como o fabrico de viseiras, doação de alimentos ou mensagens de esperança. Sendo o distrito um dos mais envelhecidos do país (quinto nas áreas rurais e oitavo nas áreas urbanas), seria de esperar que fosse um dos mais afetados pela pandemia. Apesar de ainda não vermos o fim da mesma, até ao momento podemos dizer que devido ao trabalho conjunto de todas as entidades no terreno, os valores estão abaixo do que se temia e queremos que assim continuem. No fim de abril havia 442 casos confirmados no distrito e casos de contágio em ERPI, todos controlados, mas com mortos a lamentar".

2 – Como perspetiva o futuro próximo?

"Existem, neste momento, muitas dúvidas sobre a reabertura de algumas respostas sociais. Continua a existir a necessidade de realizar testes a todos os funcionários das IPSS, tanto aos que estão ao trabalho, como aos das respostas que irão abrir. Para a reabertura com segurança, é necessário considerar todo o sector de uma forma global e não isoladamente (as famílias têm crianças em várias idades, mas também idosos ou pessoas com deficiência a frequentarem respostas sociais). As IPSS necessitam de conseguir ter acesso aos EPI necessários, pois não adianta ter no plano de contingência a utilização deste material se ele não existe no mercado ou se os preços são incomportáveis. As IPSS estão habituadas a resistir e, mais uma vez, ficou demonstrado o empenho de todos neste momento, apesar das grandes incertezas em relação aos próximos meses".

 

Data de introdução: 2020-05-07



















editorial

Brigadas de Intervenção Rápida

Sob o patrocínio da Ministra do Trabalho Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho, no dia 4 de Setembro foi celebrado o  Protocolo de Criação das Brigadas de Intervenção Rápida. São seus subscritores o...

Não há inqueritos válidos.

opinião

JOSÉ A. DA SILVA PENEDA

Cinco recomendações para o Novo Banco de Fomento
A ideia da criação de um Banco de Fomento não é nova. Uma das tentativas aconteceu em 2013 tempo em que propus ao governador do Banco de Portugal Carlos Costa a...

opinião

JOSÉ A. DA SILVA PENEDA

Saber fazer e como fazer
A Covid-19 arrastou o mundo e o nosso País para uma crise com consequências económicas e sociais ainda difíceis de imaginar.Mostra a experiência que no fim de qualquer...