UDIPSS ÉVORA

Tiago Abalroado quer sede e residência universitária a funcionar em 2022

A União Distrital das Instituições Particulares de Solidariedade Social (UDIPSS) de Évora vai construir um edifício para instalar a sua sede e uma residência para estudantes universitários.
O projeto foi apresentado pelo presidente da UDIPSS de Évora, Tiago Abalroado, durante o 4.º Encontro das IPSS do Alentejo, subordinado ao tema «Prevenção, sustentabilidade e inovação», que decorreu na cidade alentejana.
"Já celebrámos o contrato de promessa de compra e venda que vai permitir a aquisição de um terreno que tem cerca de 900 metros quadrados", situado na Avenida Dinis Miranda, em Évora, revelou à margem do encontro.
Nesse terreno, a UDIPSS Évora vai construir um edifício com uma área "na casa dos 800 metros quadrados em dois pisos".
Tiago Abalroado adiantou que no futuro equipamento será instalada a sede da UDIPSS Évora, permitindo "autonomizar" a instituição em relação a qualquer sua associada, porque, atualmente, esta funciona "na instituição que lhe preside".
A futura sede "vai contar, logo de base, com um auditório, uma sala multiusos, uma sala de exposições e um café-concerto" e "acoplámos uma residência universitária", com capacidade para cerca de 50 estudantes, referiu.
Questionado sobre o investimento previsto, o presidente da UDIPSS Évora referiu que ainda não está determinado o valor, realçando que a aquisição do terreno onde será construído o edifício tem um custo de 100 mil euros.
"Estamos a perspetivar o primeiro estudo e esboço", em que "teremos de articular com a autarquia", assinalou o responsável, admitindo que será "necessário um financiamento robusto para um projeto desta envergadura".
Nesse sentido, a UDIPSS Évora vai promover "duas iniciativas de 'crowdfunding' [financiamento coletivo] para angariar verbas" e convidar as suas 80 associadas "a dar o seu contributo" para o projeto.
Quanto aos prazos, Tiago Abalroado disse que a meta é ter a sede e a residência universitária a funcionar dentro de dois anos.

 

Data de introdução: 2020-01-23



















editorial

Alta clínica sem alta social

Um dos aspetos que, desde há vários anos, vem sendo identificado como prejudicando a melhor afetação dos recursos alocados ao funcionamento do SNS consiste no facto de existir um número muito significativo de pessoas que, após um...

Não há inqueritos válidos.

opinião

OPINIÃO DE MARIA JOÃO QUINTELA

Contra a eutanásia
Múltiplas entidades vêm promovendo, desde há vários anos, a formação para profissionais de saúde que lidam com as matérias ligadas ao envelhecimento,...

opinião

JOSÉ A. DA SILVA PENEDA

A política no nosso tempo
O mundo em que vivemos é muito diferente do que foi noutras eras. Hoje, o mundo é mais complexo, mais contestado, mais competitivo, mais diversificado e muito mais dinâmico, já...