ASSOCIAÇÃO DE PARALISIA CEREBRAL DE COIMBRA

«Coimbra a Brincar» transformou a cidade num imenso recreio

Uma vez mais, milhares de pessoas juntaram-se este ano à Associação de Paralisia Cerebral de Coimbra (APCC) e aos seus parceiros na grande festa que sempre é o «Coimbra a Brincar», o grande evento oferecido à cidade e que celebra o brincar intergeracional.
Com um primeiro dia (26 de maio) mais dedicado aos grupos familiares e de amigos e um segundo (dia 28) dirigido a grupos escolares, a edição de 2019 do «Coimbra a Brincar» voltou a ser o grande ponto de encontro de todos os que quiseram entrar na brincadeira.
Do programa fizeram parte novidades como o slackline (um desporto de equilíbrio sobre uma fita elástica), ateliês de língua gestual para bebés ou ainda sessões de estimulação sensorial, mas também estiveram de volta alguns clássicos da iniciativa da APCC, como os jogos ampliados, os passeios a cavalo ou as cantigas e as danças, bem como algumas novidades dos últimos anos que fizeram grande sucesso: o bubble football, o Stand Up Paddle ou o yoga.
A maior parte das atividades – e todas foram completamente gratuitas – esteve concentrada na margem esquerda do Parque Verde, embora várias outras tenham decorrido noutros pontos da cidade de Coimbra, como vem sendo habitual ao longo dos anos.
O «Coimbra a Brincar» foi organizado pela primeira vez em 2013 e, tendo vindo a crescer no número de atividades, participantes, parceiros e patrocinadores, mantendo-se fiel ao seu propósito inicial de divulgar o brincar enquanto fonte de prazer, alegria e aprendizagem essencial ao desenvolvimento, assim como à saúde física e mental.

 

Data de introdução: 2019-06-19



















editorial

Compromisso de Cooperação

As quatro organizações representativas do Sector  (União das Mutualidades, União das Misericórdias, Confecoop e CNIS) coordenaram-se entre si. Viram, ouviram e respeitaram. 

Não há inqueritos válidos.

opinião

JOSÉ A. DA SILVA PENEDA

Regionalização
O tema regionalização mexe com interesses. Por isso, não é pacífico. Do que se trata é de construir uma forma diferente de distribuição de poder e,...

opinião

ANTÓNIO JOSÉ DA SILVA

Primaveras que nunca chegaram
Morreu não há muito, em pleno tribunal onde iria ser julgado pela segunda vez, aquele que foi presidente egípcio entre 2012 e 2014, altura em foi deposto por um golpe militar...