IMPORTÂNCIA ECONÓMICA E SOCIAL DAS IPSS EM PORTUGAL

Estudo inédito da CNIS com apresentação no Banco de Portugal

No próximo dia 4 de dezembro, o Museu do Dinheiro do Banco de Portugal, em Lisboa, acolhe a apresentação pública do estudo «Importância Económica e Social das IPSS em Portugal».
O estudo coordenado por Américo Mendes e Filipe Pinto, investigadores da Universidade Católica, enquadra-se numa candidatura da CNIS ao POISE, especificamente na Capacitação Institucional das Organizações da Economia Social membros do Conselho Nacional para a Economia Social (CNES).
A principal faceta de importância económica e social das IPSS é providenciarem bens e serviços de apoio social a pessoas que deles precisam e que não podem pagar por eles um preço que cubra o respetivo custo.
No estudo são compiladas e tratadas contas de demonstração de resultados e balanços relativos a 2016 para um conjunto de 565 IPSS do Continente e Regiões Autónomas, o correspondente a 10% do número total de IPSS ativas, com uma distribuição geográfica (por distritos e Regiões Autónomas) e por formas jurídicas idênticas à do universo total das IPSS.
No estudo é ainda analisado o efeito multiplicador que têm nas respetivas economias locais pelo facto de captarem para lá rendimento proveniente de financiamentos públicos, doações e outras fontes. Esse rendimento é depois utilizado para pagar as remunerações de colaboradores que residem no seu território e para pagar a fornecedores locais de bens e serviços.
Por fim, um resultado deste estudo que também é de registar é que ele constitui a primeira etapa de uma futura Central de Balanços, algo que as IPSS muito precisam. Esta Central de Balanços terá o apoio do Banco de Portugal e irá ser continuada e melhorada com mais indicadores e alargada a mais IPSS.
As IPSS interessadas em estar presentes na apresentação devem submeter a inscrição até ao dia 30 de novembro através deste link.

PROGRAMA

A sessão de apresentação no Museu do Dinheiro do Banco de Portugal, sito no Largo de São Julião, em Lisboa, tem início agendado para as 15h00, com intervenções de Carlos Costa, governador do Banco de Portugal, e do padre Lino Maia, presidente da CNIS.
Depois, às 15h30, Paula Casimiro, coordenadora da Área da Central de Balanços do Departamento de Estatística do Banco de Portugal, fará uma alocução subordinada ao tema «O que podemos esperar de uma Central de Balanços? A experiência do Banco de Portugal», para, de seguida, a sessão encerrar com a apresentação do estudo «A Importância Económica e Social das IPSS em Portugal», a cargo de Américo Mendes, coordenador da ATES - Área Transversal da Economia Social, da Universidade Católica Portuguesa/Porto.

 

Data de introdução: 2018-11-19



















editorial

Cuidadores

Conhecemos os testemunhos pungentes dos familiares de pessoas, nomeadamente com doença de Alzheimer, deficiência e dependências múltiplas, de pessoas com outras demências, pais de crianças com doenças raras, pais de crianças...

Não há inqueritos válidos.

opinião

JOSÉ DA SILVA PENEDA

Duas Realidades do nosso tempo:Progresso Tecnológico e Aumento das Desigualdades
Quem imaginaria que, no início do século XX, o homem chegaria à Lua? Quem imaginaria, há 40 anos, que as telecomunicações revolucionariam a forma como os seres...

opinião

ANTÓNIO JOSÉ DA SILVA

A Europa e a vaga de anti-semitismo
Nas últimas semanas, a Comunicação Social deu bastante relevo a uma preocupante vaga de anti-semitismo que atingiu vários países europeus. Falamos particularmente,...