D. José Policarpo entre os preferidos nas bolsas de apostas

O Cardeal Patriarca de Lisboa, D.José Policarpo, está na lista dos dez candidatos favoritos ao lugar de Papa, nas bolsas de apostas que duas empresas do Reino Unido lançaram para o mercado britânico.

Ambas as empresas, a BetFair e a Paddy Power, já tinham lançado a aposta "Quem será o próximo Papa?" há alguns meses, mas só agora, depois de João Paulo II morrer, decidiram promover o concurso para atrair mais dinheiro.

Na lista de preferências da Paddy Power, por exemplo, que é a maior casa de apostas da Irlanda, D.José Policarpo chegou a ocupar a sexta posição durante o dia de ontem, tendo durante a noite descido ao nono lugar.

Apesar de nenhuma destas empresas ter ainda confirmado o valor exacto recolhido nos últimos dias com esta aposta, as sucessivas trocas de lugar nas respectivas listas de preferências dão a entender que o movimento de dinheiro se intensificou muito.

A ordem com que os nomes são apresentados está directamente relacionada com a quantidade de apostas que foram feitas nesse mesmo nome, pelo que se depreende que o cardeal português, considerado candidato à Cadeira de S.Pedro, já é um dos que mais confiança merece pelos apostadores britânicos.

O valor que cada aposta irá render a quem fizer a escolha certa vai depender, por outro lado, da forma como o seu candidato for valorado ao longo destes dias.

Assim, o cardeal italiano Dionigi Tettamanzi e o nigeriano Francis Arinze, que encabeçam as preferências de ambas as listas, são aqueles que menos dinheiro poderão render aos apostadores, cerca de 3,5 libras por cada libra apostada.

Caso D. José Policarpo viesse mesmo a ser confirmado sucessor de João Paulo II, cada uma das pessoas que apostou no seu nome teria direito a receber 15 libras por cada libra apostada.

 

Data de introdução: 2005-04-10



















editorial

Olhando o presente perspetivando o futuro

Nesta "estação de pandemia" parece estarmos em descensão, reconquistando, pouco a pouco, uma "nova normalidade". 

Não há inqueritos válidos.

opinião

ANTÓNIO JOSÉ DA SILVA

Pandemia e tensões políticas
É hoje evidente que, para além das suas consequências sanitárias, o chamado novo coronavírus está a provocar, um pouco por toda a parte, inegáveis...

opinião

JOSÉ A. DA SILVA PENEDA

Três aspetos positivos da crise e seis pontos a atender para o futuro
Sobre os últimos meses e da forma como o País e as autoridades públicas reagiram à pandemia retiro três aspetos positivos. O primeiro tem a ver com o elevado nível...