FESTA DA SOLIDARIEDADE

Chama recebida em grande festa pelas IPSS de Peniche

Rumo à Guarda, onde este sábado se realiza a Festa da Solidariedade, a Chama foi recebida em Peniche com muita alegria e animação, com diversas IPSS da terra a exibirem o seu ser solidário através de muita música, dança, canto e leitura de poesia. Pode dizer-se que as instituições de Peniche ensaiaram uma mini festa solidária.
A marcar a tarde solidária no Jardim Municipal este o espírito da inter-geracionalidade, um dos vectores determinante do evento que a Guarda vai acolher. Recorde-se que o outro é a inter-institucionalidade, também ela a ver-se em Peniche, com a participação de inúmeras IPSS locais.
Foi ao início da tarde que a Chama da Solidariedade chegou a Peniche, iniciando-se, então, a «Caminhada da Solidariedade», que ligou o Parque de Campismo, à entrada da cidade, até ao Jardim Público, onde decorreu a «Tarde Solidária», passando pela Avenida Monsenhor Bastos , Parque da Cidade, Avenida do Porto de Pesca, Fórum da Pereirinha e Largo do Baluarte, terminando, então, no centro da urbe.
Após as boas-vindas dadas pela autarquia, pela voz da vereadora da Educação, Clara Abrantes, pela UDIPSS de Leiria, pelo seu presidente padre Virgílio Francisco, e pela CNIS, por Eduardo Mourinha, membro da Direcção, foi tempo das instituições mostrarem o que tinham preparado para celebrar a passagem da Chama da Solidariedade pela cidade.
Simples mensagens solidárias e poesia, pelos mais idosos, e muita música, dança, marchas e animação de tudo um pouco se viu no palco instalado no centro do Jardim Público, que tinha uma moldura humana muito numerosa e bastante participativa.
Tanto o palco como a plateia se transformaram numa única e grande pista de dança. Se em actuação eram os idosos e as crianças do Centro Social de Ferrel e da Associação de Solidariedade de Ferrel que marcavam o ritmo da marcha, na plateia eram os utentes e colaboradores das demais instituições que faziam a festa (Acompanha, Centro de Solidariedade e Cultura de Peniche, Jardim Infantil de Ferrel, Santa Casa da Misericórdia de Peniche, Centro de Dia de Bufarda e Centro de Dia da Serra D’El Rei).
A tarde terminou com a interpretação de uma mão cheia de músicas tradicionais pelo conjunto musical «Pé d’Areia», numa actuação que rapidamente se transformou numa espécie de bailarico, em que petizes e seniores se divertiram à grande.
À noite, no Auditório do Stella Maris e Momento Cultural, o presidente da Cáritas Portuguesa, Eugénio da Fonseca, foi o protagonista da conferência «Oportunidades e Desafios à Solidariedade no Tempo Actual», perante uma plateia bastante atenta.
Recorde-se que a Chama da Solidariedade iniciou o seu percurso em Lagos, no dia 24, tendo até Peniche efectuado paragens em Sines, Setúbal e Lisboa, prosseguindo, depois, rumo a Coimbra, para, finalmente, no dia 28 chegar ao destino 2013, a cidade mais alta de Portugal, a Guarda.











P.V.O.

 

Data de introdução: 2013-06-26



















editorial

IDENTIDADE E AUTONOMIA DAS IPSS

As IPSS constituem corpos intermédios na organização social, integram a economia social e são autónomas e independentes do Estado por determinação constitucional.

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA

Eleições Europeias são muito importantes
Nas últimas eleições para o Parlamento Europeu foi escandaloso o nível de abstenção. O mesmo tem vindo a acontecer nos passados atos eleitorais europeus

opinião

PAULO PEDROSO, SOCIÓLOGO, EX-MINISTRO DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE

Habitação duradoura – a resposta que falta aos sem abrigo
As pessoas em situação de sem-abrigo na Europa, em 2023 serão cerca de 900 mil, segundo a estimativa da FEANTSA (Federação Europeia das Associações...