CONSELHO GERAL

Festa da Solidariedade será a 29 de Junho

Em mais uma reunião do Conselho Geral da CNIS, a Direcção informou os conselheiros de diversos assuntos em curso, tendo ainda apresentado o Relatório de Actividades e Contas de 2012, que serão submetidos a aprovação na Assembleia Geral do próximo dia 23 de Março.
Eduardo Mourinha começou por dar conta das conclusões dos encontros da Direcção com as diversas Uniões e Federações, prosseguindo com o ponto da situação da denominada «Operação Figo Maduro», que diz respeito ao processo de distribuição de electrodomésticos apreendidos pelas autoridades e atribuídos judicialmente à CNIS.
A este propósito, o membro da Direcção informou que o material já foi retirado do armazém onde estava arrumado, tendo sido distribuído por cinco zonas para posterior distribuição pelas Uniões Distritais, que depois o farão chegar às IPSS. Neste momento, em Aveiro estão equipamentos equivalentes à capacidade de transporte de 10 camiões, Santarém acolheu sete, Setúbal recebeu quatro, Lisboa ficou com três e Castelo Branco recolheu dois. A segunda fase da operação consistirá na retirada do material a distribuir de uma enorme quantidade de cinescópios, que para nada servem às IPSS, para, então, se entrar na terceira fase. Nesta serão desfeitas as paletes com o material para que este seja repartido pelas diversas zonas e assim fazer chegar às Uniões Distritais os equipamentos solicitados.
Eduardo Mourinha avançou que a CNIS espera ter o processo finalizado até ao final de Março, referindo-se ao mesmo como “um presente envenenado”, face aos quase 30 mil euros já gastos.
Na reunião, que se prolongou, uma vez mais, pela noite dentro, os conselheiros foram informados do ponto da situação quanto à Lei-Quadro das Fundações e à Contratação Pública.
Lurdes Cunha, da Quaternaire, entidade avaliadora externa, foi ao Conselho Geral apresentar a avaliação e dados finais sobre o Projecto FAS2, seguindo-se uma breve apresentação, por Palmira Macedo, do FAS3, que fora apresentado à tarde, igualmente em Fátima, às IPSS seleccionadas.
A propósito do Protocolo de Cooperação 2013/2014, os conselheiros foram informados sobre as temáticas das Cantinas Sociais, Comissões de Acompanhamento e os respectivos cinco Grupos de Trabalho e ainda sobre as Orientações Pedagógicas para as Creches, cujo trabalho a elaborar pelo Governo terá como ponto de partida o trabalho já desenvolvido pela CNIS nessa matéria.
Virgílio Arderius, presidente da UDIPSS da Guarda, cidade que vai acolher a Festa e a Chama da Solidariedade em 2013, avançou com a data de 29 de Junho para a realização do evento que junta a solidariedade em festa, avançando ainda com algumas propostas para a composição do programa. Por seu turno, José Carreiro, presidente da URIPSS do Algarve, de onde sairá a Chama da Solidariedade, propôs que esta viajasse de barco pelo litoral alentejano até Setúbal, proposta que ficou em aberto para posterior discussão.
Os conselheiros abordaram ainda os protocolos com o Montepio Geral e a Transdev e ainda questões relacionadas com a Linha de Crédito II e com os utentes em Estrutura Residencial, entre outros assuntos.

P.V.O.

 

Data de introdução: 2013-02-27



















editorial

As amas em Creche Familiar

Publica-se neste número do “Solidariedade” o texto do acordo com a FSUGT, na parte que contempla também os novos valores de remunerações acordado para vigorar a partir de 1 de janeiro de 2024.

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA

A propósito do contributo da CNIS para as próximas eleições
É já tradição que as organizações de diferentes âmbitos, aproveitem os atos eleitorais para fazerem valer as suas reivindicações mais...

opinião

PAULO PEDROSO, SOCIÓLOGO, EX-MINISTRO DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE

Cuidar da democracia
Neste ano vamos a eleições pelo menos duas vezes (três para os açorianos), somos chamados a renovar o nosso laço político com a comunidade, escolhendo...