PRÉMIO MANUEL ANTÓNIO DA MOTA

Alzheimer Portugal vencedora da terceira edição

A Alzheimer Portugal venceu a terceira edição do Prémio Manuel António da Mota, tendo o júri escolhido esta associação "pelos projectos que desenvolve no âmbito da promoção do envelhecimento activo e da solidariedade entre gerações". A cerimónia de entrega do Prémio Manuel António da Mota, que vai já
na sua terceira edição, decorreu no Palácio da Bolsa, no Porto, e contou com a presença do ministro da Solidariedade e da Segurança Social, Pedro Mota Soares do chairman da Mota-Engil, António Mota e do presidente da CNIS, padre Lino Maia, entre muitos convidados.

A entrega do prémio à Alzheimer Portugal, no valor de 50 mil euros, foi decidida de forma unânime pelo júri devido aos projectos que a associação "desenvolve no âmbito da promoção do envelhecimento activo e da solidariedade entre gerações". A presidente da Alzheimer Portugal, Maria Zincke dos Reis, afirmou, ao receber o prémio, que era "um orgulho imenso" ver seu trabalho reconhecido, acrescentando que aquilo que havia pretendido com a candidatura era que os ajudassem "a fazer mais e melhor".

No seu discurso, o ministro Mota Soares enalteceu a associação premiada, a responsabilidade social das empresas, TSF e Mota-Engil, que promovem o prémio como "extraordinário exemplo de ajuda a quem ajuda os outros" e citou os Beatles para falar de envelhecimento ativo. Recordando os versos que Paul McCartney escreveu em 1966 "Will you still feed me /Will you still need me/ When I'm 64" [Ainda me alimentarás/ Ainda precisarás de mim/quando eu tiver 64], o ministro aproveitou para falar do envelhecimento ativo, que durante 2012 teve o seu Ano Europeu. "Em Portugal, nos anos 1960, a esperança de vida situava-se nos 63 anos o que, de alguma forma, dá sentido á letra do Paul McCartney", afirmou o ministro, contrapondo que hoje "esse número está nos 79 anos de idade".

Hoje, com 71, anos, Paul McCartney, lembrou o ministro, "como tantas pessoas pelo mundo fora, como em Portugal hoje, está ativo " e uma "grande maioria das preocupações que inscreveu na sua música está hoje alcançada, e a Humanidade, nesse sentido, tem feito uma evolução que é uma evolução magnífica".

O presidente da Mota-Engil, que enumerou algumas das obras sociais que empresa desenvolve em outros países onde tem actividade, enalteceu a qualidade das dez instituições finalistas anunciando o aumento o valor pecuniário a entregar às menções honrosas de 1000 para 5000 euros.

A associação premiada tem-se destacado, nos últimos anos "ao nível da divulgação de conhecimentos sobre a doença de Alzheimer, a promoção do seu estudo e investigação das suas causas, efeitos e tratamento, bem como no desenvolvimento de formas de apoio às pessoas com doença de Alzheimer, ou outra forma de demência, e aos seus cuidadores", refere o comunicado do júri.

A Fundação Manuel António da Mota instituiu, em 2010, o Prémio Manuel António da Mota com o objectivo de reconhecer anualmente organizações e personalidades que se destaquem nos vários domínios de atividade da fundação.

 

Data de introdução: 2012-12-16



















editorial

O COMPROMISSO DE COOPERAÇÃO: SAÚDE

De acordo com o previsto no Compromisso de Cooperação para o Setor Social e Solidário, o Ministério da Saúde “garante que os profissionais de saúde dos agrupamentos de centros de saúde asseguram a...

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA

Imigração e desenvolvimento
As migrações não são um fenómeno novo na história global, assim como na do nosso país, desde os seus primórdios. Nem sequer se trata de uma realidade...

opinião

PAULO PEDROSO, SOCIÓLOGO, EX-MINISTRO DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE

Portugal está sem Estratégia para a Integração da Comunidade Cigana
No mês de junho Portugal foi visitado por uma delegação da Comissão Europeia contra o Racismo e a Intolerância do Conselho da Europa, que se debruçou, sobre a...