HAITI

Caritas Portuguesa vai ajudar vítimas do mau tempo

O Conselho Permanente da Caritas Portuguesa vai levar a cabo a realização de uma campanha de donativos para as vítimas do furacão Jeanne, que atingiu o Haiti.

Os católicos portugueses vão recolher donativos para comprarem medicamentos e alimentos que se destinam a serem entregues aos sobreviventes das inundações e dos desabamentos de terras provocados pela tempestade Jeanne.

Carlos Oliveira, dirigente do Conselho Permanente e da Caritas do Algarve, explicou que os donativos serão recolhidos através de uma conta bancária a definir e a Caritas Portuguesa pretende lançar uma "campanha de sensibilização da opinião pública portuguesa".
Para Carlos Oliveira, a situação no Haiti é "dramática", quer pelos danos causados pelo mau tempo, quer pela "proliferação de doenças como a cólera".

A gestão dos donativos deverá ser assumida pela Caritas haitiana, à semelhança do que já sucedeu com uma campanha similar para Angola, de modo a evitar os circuitos oficiais, que implicam problemas burocráticos e menor eficácia, explicou.

Este responsável reconheceu ainda que os portugueses não estão motivados para contribuir para países mais desconhecidos, pelo que será feito um "esforço adicional" através das Caritas diocesanas no sentido de ultrapassar este problema. "Verificámos que, numa situação de calamidade em países que não têm laços históricos com Portugal, temos algumas dificuldades em sensibilizar as pessoas", notou Carlos Oliveira.

 

Data de introdução: 2004-10-21



















editorial

IDENTIDADE E AUTONOMIA DAS IPSS

As IPSS constituem corpos intermédios na organização social, integram a economia social e são autónomas e independentes do Estado por determinação constitucional.

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA

Eleições Europeias são muito importantes
Nas últimas eleições para o Parlamento Europeu foi escandaloso o nível de abstenção. O mesmo tem vindo a acontecer nos passados atos eleitorais europeus

opinião

PAULO PEDROSO, SOCIÓLOGO, EX-MINISTRO DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE

Habitação duradoura – a resposta que falta aos sem abrigo
As pessoas em situação de sem-abrigo na Europa, em 2023 serão cerca de 900 mil, segundo a estimativa da FEANTSA (Federação Europeia das Associações...