ARMAS

Campanha de recolha de armas ilegais

O Governo prepara o lançamento de uma campanha pública para que os portugueses que tenham em seu poder armas ilegais possam entregá-las voluntariamente ao Estado sem quaisquer consequências.

O secretário de Estado adjunto da Administração Interna, José Magalhães, revelou ao Diário de Notícias que o Governo pretende que as armas apreendidas não transformadas sejam usadas pelas forças policiais, explicando que "são uns largos milhares que o Estado poupa na aquisição de material". A presidente da Secção Portuguesa da Amnistia, Teresa Noronha, lembrou que "já há muito tempo que a AI e a imprensa católica vinham a denunciar que Portugal poderá ser uma das placas giratórias do comércio internacional ilegal de armas para países em conflito".

Segundo o secretário de Estado, trata-se de uma campanha que procura seguir o modelo de desarmamento adoptado no Brasil em 2003, que, em pouco mais de quatro meses, levou à entrega de 180 mil armas. No ano passado, a PSP apreendeu 2.205 armas e a GNR outras 1.362, uma boa parte ilegais e modificadas.

27.03.2006

 

Data de introdução: 2006-04-05



















editorial

O COMPROMISSO DE COOPERAÇÃO: SAÚDE

De acordo com o previsto no Compromisso de Cooperação para o Setor Social e Solidário, o Ministério da Saúde “garante que os profissionais de saúde dos agrupamentos de centros de saúde asseguram a...

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA

Imigração e desenvolvimento
As migrações não são um fenómeno novo na história global, assim como na do nosso país, desde os seus primórdios. Nem sequer se trata de uma realidade...

opinião

PAULO PEDROSO, SOCIÓLOGO, EX-MINISTRO DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE

Portugal está sem Estratégia para a Integração da Comunidade Cigana
No mês de junho Portugal foi visitado por uma delegação da Comissão Europeia contra o Racismo e a Intolerância do Conselho da Europa, que se debruçou, sobre a...