ENVELHECIMENTO ATIVO

União das IPSS, Politécnico e Segurança Social da Guarda vão desenvolver projetos de investigação e de formação

O Instituto Politécnico da Guarda (IPG) vai desenvolver projetos de investigação e de formação nas áreas do envelhecimento, da educação social e do envelhecimento ativo na região.

A iniciativa do IPG surge no âmbito de uma parceria estabelecida com o Centro Distrital da Guarda do Instituto da Segurança Social e com a União Distrital das Instituições Particulares de Solidariedade Social (UDIPSS).

O protocolo de cooperação foi assinado durante uma reunião entre o diretor do Centro Distrital da Guarda da Segurança Social, António Carlos Martins, o presidente da UDIPSS da Guarda, Rui Reis Pais, e o presidente do IPG, Joaquim Brigas.

A parceria prevê a criação de "programas que permitam intervir junto dos cidadãos seniores e de populações em situação de fragilidade", com vista à autonomização destes e à sua melhor integração social, e a promoção de abordagens transgeracionais e integradoras que promovam o "bem-estar e a saúde física e mental da população mais idosa", segundo as entidades envolvidas.

No âmbito do protocolo, as mesmas entidades também irão organizar formações, conferências e seminários.

"Esta parceria é muito importante para o arranque de iniciativas que visam melhorar a qualidade de vida da população idosa da região. A proximidade e a experiência de trabalho do Centro Distrital da Guarda da Segurança Social e da União Distrital das IPSS da Guarda em lares e IPSS são determinantes para o desenvolvimento de programas eficazes", afirma Joaquim Brigas, presidente do IPG.

Segundo o responsável, aquela instituição de ensino superior irá "colaborar ativamente na formação e na investigação na área da educação social gerontológica".

"Numa altura em que o setor solidário é um dos setores que mais emprega na nossa região, revela-se absolutamente essencial esta parceria para atualizar os conhecimentos dos recursos humanos que já trabalham na área social e para preparar novos dirigentes capazes de inovar e de ampliar o desempenho das instituições", afirma Rui Reis Pais, presidente da UDIPSS da Guarda.

O responsável sublinha ainda que "a competência dos docentes e dos investigadores do Politécnico da Guarda será determinante nesta especialização".

Na mesma nota, António Carlos Martins, diretor do Centro Distrital da Guarda da Segurança Social, afirma que a instituição que dirige está empenhada "em colaborar com entidades da região no sentido de promover melhores condições de vida aos idosos para que possam envelhecer de forma saudável e para que continuem a ser úteis na sociedade".

"Esta união com o IPG e com UDIPSS da Guarda vai permitir melhorar as condições das estruturas de apoio a idosos no distrito da Guarda, com recursos humanos qualificados", conclui.

 

Data de introdução: 2021-10-25



















editorial

ELEIÇÕES LEGISLATIVAS

O Orçamento do Estado não era propriamente a questão, mas foi a oportunidade para dar por concluída a missão da “geringonça”… Já se previa!

inquérito

Como avalia o acordo de cooperação 2021-2022 que a CNIS assinou com o governo?

opinião

JOSÉ A. SILVA PENEDA

A pobreza em Portugal
Estatísticas oficiais da União Europeia recentemente divulgadas dizem que a taxa de risco de pobreza dos idosos no nosso País subiu de 20,2% em 2019, para 21,4% em 2020. Nas...

opinião

EUGÉNIO FONSECA, PRES. CONF. PORTUGUESA DO VOLUNTARIADO

De Glasgow até às IPSS
Em Glasgow, na Escócia, de 31 de outubro a 12 de novembro, cerca de duas centenas de líderes e representantes estiveram reunidos, essencialmente, para verem como dar continuidade...