«PRIMEIROS ANOS A NOSSA PRIORIDADE» PASSA PELA FUNDAÇÃO CALOUSTE GULBENKIAN

Encontro europeu «Os Primeiros Anos Contam! e agora?» reúne especialistas em nove países

No próximo dia 17 de setembro, a Fundação Nossa Senhora do Bom Sucesso (FNSBS) promove, na Fundação Calouste Gulbenkian, o encontro «Os Primeiros Anos Contam! e agora?», no âmbito da Campanha Primeiros Anos a Nossa Prioridade, da qual a CNIS é parceira, e enquadrado na campanha europeia (www.firstyearsfirtspriority.eu), que irá decorrer, em simultâneo, em nove países.
Este encontro pretende ser palco para partilha de conhecimento e experiências e gerador de propostas concretas para Portugal reforçar as medidas orientadas para o estímulo do desenvolvimento infantil.
No encontro «Os Primeiros Anos Contam! e agora?» serão abordadas diversas dimensões do desenvolvimento infantil, das evidências científicas aos direitos da criança; a importância do acesso a saúde e educação de qualidade, visando a quebra dos ciclos reprodutivos da pobreza e exclusão; a realidade em Portugal e a comparação com os nove países que participam na campanha europeia.
No Auditório 2 da Fundação Calouste Gulbenkian, será possível assistir às intervenções de um painel de especialistas cujos nomes garantem a elevada qualidade do que poderá ser escutado.
Assim, para além dos «keynote speakers» João Gomes-Pedro, Armando Leandro e Ana Serrano,
Estão programados cinco painéis, a saber: «O Desenvolvimento Infantil», com Maria do Carmo Vale, Henrique Barros e Bárbara Menezes, moderado por Maria João Moniz; «Vínculo Seguro, Família e Acolhimento», com Manuela Veríssimo, Carla Lima, Ana Gaspar, Filomena Gaspar e Emílio Salgueiro, moderado por Joana Garcia da Fonseca; «O Perfil de Portugal e Outros Dados», com Judite Gonçalves e Mafalda Lourenço, moderado por Lourdes Hill; «Direitos e Realidade», com Dulce Rocha, Rosário Farmhouse, Carlos Farinha Rodrigues e Isabel Soares, moderado por Margarida Pinto Correia; «Tempo de Brincar, cuidar e educar», com Eulália Alexandre, Luís Ribeiro, Alexandra Marques, Carlos Neto e Joana Cadima, moderado por Ana Teresa Brito.

 

Data de introdução: 2021-09-08



















editorial

SUSTENTABILIDADE

Quando o XXIV Governo Constitucional dá os primeiros passos, o Sector Social Solidário, que coopera com o Estado, deve retomar alguns dossiers. Um deles e que, certamente, se destaca, é o das condições de sustentabilidade que constituem o...

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA

Agenda 2030 e as IPSS
Em Portugal é incomensurável a ação que as cerca de 5 mil Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) existentes, têm vindo a realizar.  As...

opinião

PAULO PEDROSO, SOCIÓLOGO, EX-MINISTRO DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE

A gratuitidade das creches entre o reforço do setor social e a privatização liberal
 A gratuitidade das creches do sistema de cooperação e das amas do Instituto de Segurança Social, assumida pela Lei Nº 2/2022, de 3 de janeiro, abriu um capítulo novo...