FUNDAÇÃO AFID, AMADORA

Maria Cristina Simões vence Prémio Dra. Maria Lutegarda

Maria Cristina Marques Ferreira Simões foi a grande vencedora da primeira edição do Prémio de Investigação Científica Dra. Maria Lutegarda, promovido pela Fundação AFID.
O primeiro Prémio de Investigação Científica Dra. Maria Lutegarda foi atribuído ao projeto «A Qualidade de Vida de Crianças e Jovens com Dificuldade Intelectual e Desenvolvimental: Contributo para Educação Inclusiva», da autoria da investigadora Maria Cristina Marques Ferreira Simões.
“Concorri ao prémio mesmo para divulgar o que tenho feito nesta área, e a área é qualidade de vida, neste caso específico, de crianças e jovens com dificuldade intelectual, com dificuldades acrescidas”, afirmou a vencedora.
As duas menções honrosas foram também atribuídas a Lúcia Maria Neto Canha, pelo trabalho «Transição para a Vida Adulta no Contexto da Deficiência, Estudo das variáveis pessoais e sociais associadas a um processo de sucesso e desenvolvimento de um modelo de intervenção inclusivo», e Ana Sofia Pedrosa Gomes dos Santos, pelo trabalho «A investigação-ação no campo da Dificuldade Intelectual e Desenvolvimental».
Esta é uma iniciativa pioneira, de periodicidade bienal, constituída por um prémio no valor de 8.000 euros e duas menções honrosas de 1.500 euros. O Prémio de Investigação Científica Dra. Maria Lutegarda tem como objetivo estimular e mobilizar para a criação e desenvolvimento de trabalhos de investigação e de inovação sobre a reabilitação junto de pessoas com deficiência.
A primeira edição teve 14 projetos de investigação a concurso, nos três graus de ensino superior público e privado (Licenciatura, Mestrado e Doutoramento), e contou com o Alto Patrocínio da Presidência da República e com os apoios da Fundação Montepio e da Câmara Municipal da Amadora.
Domingos Rosa, presidente da Fundação, quando questionado sobre a herança deixada por Maria Lutegarda, começou por dizer que a mesma “trouxe à nossa casa (AFID) a felicidade”, acrescentando: “Os nossos utentes são pessoas que se sentem bem dentro de casa e ela conseguiu introduzir essa cultura, quer da qualidade quer da felicidade, e são dois aspetos fundamentais numa organização desta natureza”.

 

Data de introdução: 2020-01-08



















editorial

ANO NOVO – NOVOS DESAFIOS

(...) Deve relevar-se como um passo muito significativo o compromisso constante do Pacto de Cooperação, no sentido de o Estado e as Instituições deverem repartir de forma equitativa os encargos com as respostas sociais em que existem...

Não há inqueritos válidos.

opinião

JOSÉ A. SILVA PENEDA

A revisão do Pacto para a Solidariedade
Nos últimos dias do ano transato os Presidentes da Associação Nacional dos Municípios Portugueses (AMNP), da Associação Nacional de Freguesias (ANAFRE), da...

opinião

EUGÉNIO FONSECA, PRES. CONF. PORT. DO VOLUNTARIADO

ESTRATÉGIA NACIONAL DE COMBATE À POBREZA: Um nobre desafio a Portugal
Finalmente, foi aprovada uma Estratégia Nacional de Combate à Pobreza (ENCP). Apesar de haver aspetos importantes por conhecer, no que respeita a exequibilidade desta Estratégia, em...