REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA

Equipa da CNIS esteve a «Refletir, Construir e Partilhar» com as IPSS insulares

No âmbito do previsto no Programa de Ação 2019, uma equipa da CNIS, em estreita colaboração com a União das Instituições Particulares de Solidariedade Social (UIPSS) da Madeira, promoveu a terceira edição da ação «Refletir, Construir, Partilhar – projeto de reflexão sobre temas determinantes para o exercício da missão das IPSS».
A comitiva da CNIS, que esteve na Madeira nos dias 25 e 26 de novembro, começou por ter uma reunião com a Direção da UIPSS Madeira, onde foi possível refletir sobre o estado da Cooperação na Região Autónoma da Madeira (RAM), apreender as particularidades do seu funcionamento e as dificuldades sentidas pelas instituições insulares.
Nas instalações da Escola da Associação Promotora do Ensino Livre (APEL), no Funchal, com a participação de cerca de 50 representantes de instituições madeirenses, realizou-se uma sessão de trabalho subordinada ao tema «Identidade, Autonomia e Sustentabilidade das IPSS», com o objetivo de refletir acerca da importância desta trilogia para o exercício da missão das instituições sociais.
Sendo objetivo desta deslocação conhecer a realidade da Cooperação na RAM e promover a articulação interinstitucional no Sector Social e Solidário, uma comitiva da CNIS e da UIPSS Madeira foi recebida pela secretária Regional de Inclusão Social e Cidadania, Augusta Aguiar, tendo sido partilhadas por estas entidades as preocupações e desafios sentidos ao nível da Cooperação, saindo reforçada a promessa de um trabalho em rede.
Com intuito de sentir de perto o trabalho desenvolvido pelas instituições, foram ainda realizadas visitas a duas associadas, a Santa Casa da Misericórdia do Funchal e a Fundação de Nossa Senhora da Conceição do Funchal.
A equipa da CNIS era constituída pelo vogal da Direção da CNIS, padre José Baptista, pela assessora da Direção para a área da Cooperação, Filomena Bordalo, e ainda por Mafalda Jesus, do Departamento Técnico.

 

Data de introdução: 2019-12-05



















editorial

ANO NOVO – NOVOS DESAFIOS

(...) Deve relevar-se como um passo muito significativo o compromisso constante do Pacto de Cooperação, no sentido de o Estado e as Instituições deverem repartir de forma equitativa os encargos com as respostas sociais em que existem...

Não há inqueritos válidos.

opinião

JOSÉ A. SILVA PENEDA

A revisão do Pacto para a Solidariedade
Nos últimos dias do ano transato os Presidentes da Associação Nacional dos Municípios Portugueses (AMNP), da Associação Nacional de Freguesias (ANAFRE), da...

opinião

EUGÉNIO FONSECA, PRES. CONF. PORT. DO VOLUNTARIADO

ESTRATÉGIA NACIONAL DE COMBATE À POBREZA: Um nobre desafio a Portugal
Finalmente, foi aprovada uma Estratégia Nacional de Combate à Pobreza (ENCP). Apesar de haver aspetos importantes por conhecer, no que respeita a exequibilidade desta Estratégia, em...