MIRANDA DO CORVO

ADFP promove acção de prevenção

A Associação para o Desenvolvimento e Formação Profissional de Miranda do Corvo (ADFP )levou a efeito uma Acção sobre o Tema “Como Agir em caso de Incêndio”.

A acção, organizada em colaboração com os Bombeiros Voluntários de Miranda do Corvo, decorreu em 6 Sessões de 45 minutos, possibilitando assim que todos os funcionários, formandos e residentes da instituição pudessem ter acesso a uma das Sessões, que contaram com cerca de 100 participantes.

Esta Acção revelou-se muito positiva, como forma de Sensibilização para uma situação de incêndio no local de trabalho/residência, relativo aos primeiros procedimentos a tomar e que se poderão revelar de extrema importância, incluindo primeiros socorros (caso de hemorragia e obstrução de via aérea). 

Uma iniciativa possível possível graças à total disponibilidade demonstrada pelo Comando dos BVMC, desde a primeira hora, e à forma como os Voluntários responsáveis pelas acções, conseguiram motivar os participantes e transmitir de forma facilmente perceptível, o conjunto de procedimentos a tomar.

Esta Acção insere-se num conjunto de iniciativas ligadas à Formação de activos, tendo já decorrido durante o mês de Maio, acções de “Higiene e Segurança Alimentar” e de “Cuidados de Higiene e Conforto”, nos quais participaram funcionários das áreas de Cozinha, Ajudantes de Lar, Empregadas de Quarto e auxiliares de Serviços Gerais.

A ADFP pretende, a curto prazo, alargar estas suas iniciativas a Activos Externos à Instituição, numa lógica de possibilitar também a outras Entidades e Empresas, a possibilidade de darem cumprimento ao estipulado no artigo n.º 125 do novo Código de Trabalho, no que respeita à Formação Contínua dos seus Activos.

Está prevista para breve uma Acção a esse nível no âmbito das Novas Tecnologias de Informação, da qual a Instituição fará oportunamente a devida divulgação junto das Empresas do Concelho.

 

Data de introdução: 2005-07-08



















editorial

As amas em Creche Familiar

Publica-se neste número do “Solidariedade” o texto do acordo com a FSUGT, na parte que contempla também os novos valores de remunerações acordado para vigorar a partir de 1 de janeiro de 2024.

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA

A propósito do contributo da CNIS para as próximas eleições
É já tradição que as organizações de diferentes âmbitos, aproveitem os atos eleitorais para fazerem valer as suas reivindicações mais...

opinião

PAULO PEDROSO, SOCIÓLOGO, EX-MINISTRO DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE

Cuidar da democracia
Neste ano vamos a eleições pelo menos duas vezes (três para os açorianos), somos chamados a renovar o nosso laço político com a comunidade, escolhendo...