ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EMERGÊNCIA RÁDIO

APER em Angola para apoiar na luta contra a febre hemorrágica

A Associação Portuguesa de Emergência Rádio, com instalações na Rua do Instituto Industrial, nº 10 – em Lisboa, desenvolve com os seus associados variados projectos na área do apoio humanitário.

Entre os muitos projectos em que está a trabalhar destacam-se a nível Nacional as Equipas de Rua, o Apoio aos Sem Abrigo, a Unidade de Inserção na Vida Activa.

A nível Internacional salienta-se a Intervenção Psico Social no stress Pós-traumático de Guerra, Saúde Materno-Infantil, Reabilitação e apetrechamento de Escolas Secundárias, capacitação e fornecimento de Técnicos de Saúde.

Estão em desenvolvimento projectos a 2 anos em Angola:

No Huambo - zona do Xinguai na área da Saúde materno-infantil, no Bailundo onde vão ser reabilitadas infraestrutras de escolas e haverá formação de professores.

Na zona de Benguela vai ser feita a reabilitação do Hospital local e o respectivo apetrechamento com destaque para o apoio ao combate às doenças infecto-contagiosas bem como na área materno-infantil. Ainda em Angola o Hospital de Baia Farta também nesta área será apoiado.

Neste momento o Departamento de Recursos Humanos tem Bolsas de Voluntariado Abertas a nível Internacional para a colocação de Médicos, Enfermeiros, Técnicos de Saúde. Professores e Logísticos.

Recordamos que a Associação Portuguesa de Emergência Rádio – “APER” foi fundada a 14 de Julho de 1999 tendo como grande objectivo além do apoio ao rádio amadorismo também a ajuda humanitária nacional e internacional. 

Projecto de Emergência “APER” em Angola – Febre Hemorrágica

A “APER” desenvolve neste momento um Projecto de Emergência médico e medicamentoso para apoio em Angola da Febre Hemorrágica. Saliente-se que já seguiu para Angola um contentor com vários produtos de ajuda humanitária.
A Equipa que parte já no fim deste mês é constituída por 1 Médico, 1 Enfermeiro, 1 Paramédico e 1 Logístico.

Prevê-se que esta missão terá uma duração de 3 meses estando tecnicamente e financeiramente a ser preparada com o apoio do Instituto Português de Apoio ao Desenvolvimento, Direcção Geral de Saúde, Fundação Gulbenkian, Fundação Oriente, Fundação Agha Khan, Protecção Civil e Laboratórios Farmacêuticos.

 

Data de introdução: 2005-04-29



















editorial

IDENTIDADE E AUTONOMIA DAS IPSS

As IPSS constituem corpos intermédios na organização social, integram a economia social e são autónomas e independentes do Estado por determinação constitucional.

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA

Eleições Europeias são muito importantes
Nas últimas eleições para o Parlamento Europeu foi escandaloso o nível de abstenção. O mesmo tem vindo a acontecer nos passados atos eleitorais europeus

opinião

PAULO PEDROSO, SOCIÓLOGO, EX-MINISTRO DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE

Habitação duradoura – a resposta que falta aos sem abrigo
As pessoas em situação de sem-abrigo na Europa, em 2023 serão cerca de 900 mil, segundo a estimativa da FEANTSA (Federação Europeia das Associações...