OPINIÃO

Labirinto fiscal

É de aplaudir a chamada “equidade fiscal” e, em seu nome, a vontade política de repartir melhor a riqueza produzida por todos, cada um ao nível das suas possibilidades e responsabilidades!
Porém, não vai ser fácil transformar a “assimetria fiscal” em justiça fiscal através de “equidade fiscal”!

Há muito que anda no ar um clamor silenciado (que não silencioso!) muito grande pelas desigualdades sociais geradoras de pobreza e empobrecimento!
Saber que os rendimentos sobre o capital se ficam apenas em 21,5%, quando os rendimentos sobre o trabalho vão já nos 46.5% e ameaçam não ficar por aí…pode ser rastilho de uma fogueira de descontentamento que ninguém quererá acender!

Muita gente vai perguntando: que legitimidade têm sucessivos Governos para continuar a aumentar impostos sobre impostos, sem nos darem garantias de os saberem utilizar ao serviço do BEM COMUM, revelando-se incapazes de controlar as suas várias administrações (do Estado Central, das Regiões Autónomas, das Autarquias, de tantos e tantos tentáculos daquilo a que, há uns anos, alguém chamou de “polvo de interesses”)?

Claro que, em nome da crise e da necessidade de pagar com língua de palmo a quem nos empresta o dinheiro para podermos sobreviver com um pingo de honra, não teremos outro remédio!
Talvez não fosse má ideia, em complemento de receitas angariadas por “impostos”, pensar-se, com uma criatividade inteligente, num sistema de “incentivos”, inspirado no “job sharing”, a investimentos feitos em equipamentos sociais de proximidade (dinheiro que fica logo nas comunidades, motivando-as para uma cidadania mais participativa, para um voluntariado de proximidade que poderá redundar em mais solidariedade?

Por: Padre José Maia

 

Data de introdução: 2011-09-13



















editorial

Confiança e resiliência

(...) Além disso, há um Estado que muito exige das Instituições e facilmente se demite das suas obrigações. Um Estado Social não pode transferir responsabilidades para as Instituições e lavar as mãos quanto...

Não há inqueritos válidos.

opinião

José Leirião

A necessidade de um salário mínimo decente
Os salários, incluindo os salários mínimos são um elemento muito importante da economia social de mercado praticada na União Europeia. Importantes disparidades permanecem...

opinião

JOSÉ A. DA SILVA PENEDA

Muitos milhões de euros a caminho
O País tem andado a ouvir todo um conjunto de ideias com vista a serem aproveitados os muitos milhões de euros provenientes da Europa. Sobre o que é preciso fazer as coisas parecem...