IPSS SÃO PARCEIROS FUNDAMENTAIS

Câmara de Ílhavo ataca problemas sociais

A Câmara Municipal de Ílhavo (CMI) vai avançar, a curto e médio prazo, com um forte ataque às carências sociais do espaço concelhio. O Plano de Desenvolvimento Social (PDS), elaborado no ano transacto, apontou, como prioridades a ter em conta, as áreas da saúde e educação, acção social e acessibilidades, habitação, formação profissional e emprego. 

Reconhecendo que o trabalho das IPSS e de outras instituições empenhadas na luta contra a pobreza e exclusão social “é notável”, o presidente da CMI, eng. Ribau Esteves, sublinhou, em declarações ao nosso jornal, que vai continuar a contar com elas em todos os processos que vão ser desenvolvidos. 

O autarca informou que o concelho de Ílhavo tem, nas suas quatro freguesias e para uma população de 42 mil habitantes, 11 IPSS e cinco instituições equiparadas, que trabalham desde a primeira infância à terceira idade, com valências e serviços os mais variados, todos eles “de muita qualidade”. E ao sublinhar que há uma cobertura muito boa a vários níveis de intervenção social, não deixou de reconhecer que ainda é preciso fazer mais, tendo como meta, em especial, a erradicação da pobreza. 

A curto prazo, vão ser implementadas acções de combate ao alcoolismo, doença com marcas profundas em algumas zonas do concelho, e num futuro próximo vai ser construído um Hospital de Cuidados Continuados, por iniciativa da Santa Casa da Misericórdia e com o apoio da autarquia. 

Na Praia da Barra, freguesia da Gafanha da Nazaré, tudo se conjuga para que em meados de 2005 entre em funcionamento uma nova Extensão de Saúde. 

O PDS denunciou, por outro lado, carências ao nível da primeira infância, pelo que se torna imperioso aumentar a oferta de creches, uma tarefa que cabe, por inteiro, às instituições do concelho, que a câmara não deixará de ajudar. E sobre a terceira idade, Ribau Esteves garantiu que nos próximos três anos vai ser criado um Lar, com Centro de Dia e de Noite, na Gafanha do Carmo, bem como será ampliado e beneficiado o Lar de S. José, em S. Salvador, freguesia-sede do concelho. 

Sobre a habitação social, o autarca ilhavense frisou que vão ser intervencionados oito bairros degradados. Um deles, ligado à etnia cigana, com dez famílias, tem mesmo de ser desactivado, por força da construção da cintura portuária externa. Será ainda requalificado o bairro da Obra do Frei Gil, junto à Vista Alegre. Todas estas intervenções pretendem contribuir para uma melhor qualidade de vida das populações abrangidas. 

Quanto às acessibilidades, o autarca ilhavense referiu a necessidade de se aumentar a oferta de transportes colectivos, com mais itinerários, adiantando, também, que estão a ser elaborados projectos que respondam a outras carências da população, fomentando o emprego e a qualificação profissional, valorizando profissões e sensibilizando empregadores para que recorram a programas de estágios profissionais.

 

Data de introdução: 2004-10-21



















editorial

Legislativas 2019

No contexto da pré-campanha eleitoral para as Eleições Legislativas de 2019 surgiram várias propostas e foram enunciadas algumas preocupações que conectam diretamente com o que são as competências e a tradição...

Não há inqueritos válidos.

opinião

JOSÉ A. DA SILVA PENEDA

A conetividade como condição de sobrevivência das instituições
O conceito que no século XX mais influência teve na economia global, no mundo do trabalho e na vida dos cidadãos foi a globalização. Embora não tenha sido a...

opinião

ANTÓNIO JOSÉ DA SILVA

A China e o desafio de Hong Kong
Já lá vão umas largas semanas sobre o início da crise social e política que atingiu Hong Kong, uma crise que, pelo menos aparentemente, ainda está longe de ter...