II CONGRESSO DA CNIS

Solidariedade à prova dos nove

No rescaldo do II Congresso, realizado em Fátima nos dias 27 e 28 de Janeiro, ainda ecoam nos ouvidos de quem lá esteve, muitas preocupações apresentadas, muitas interpelações sobre políticas sócio-educativas, várias propostas para actuação futura da CNIS.

A Comissão Organizadora do Congresso está de parabéns por ter conseguido, em tão pouco tempo, trazer a debate, entre as Instituições presentes, assuntos da maior importância.

O II Congresso foi também eleitoral. As duas listas concorrentes às eleições apresentaram linhas programáticas e nomes de pessoas para assumirem as responsabilidades nos Órgãos Sociais da CNIS, nos próximos 3 anos.
Através da reportagem do jornal da CNIS, as Associadas tomarão conhecimento do que de mais importante aconteceu neste Congresso.

É costume dizer-se, em situações análogas a estas, que "por um voto se perde e por um voto se ganha" e que "os processos eleitorais cessam no momento em que os resultados são anunciados".

Permito-me transcrever o que escrevi na penúltima crónica: "... que a razão de ser de listas e projectos seja sempre uma resposta às efectivas carências sociais de solidariedade e acção social que os nossos concidadãos mais frágeis reclamam das IPSS que o País se habituou a respeitar e as comunidades humanas onde elas estão inseridas a elas se acolhem na busca de mais bem-estar social".

Mais: na última crónica, sob o título: depoimento, escrevi também: "...seja qual for o evoluir do processo eleitoral e a eleição dos novos Órgãos Sociais, espero que a CNIS saiba preservar o maior património que herdou da UIPSS, a saber: a UNIDADE na diversidade..."

O que se passar nos próximos meses constituirá a verdadeira "prova dos nove" através da qual se compreenderá quem faz da solidariedade uma causa e um serviço ou, ao invés, poderá ser tentado a assumir atitudes e comportamentos menos dignos..., independentemente de ter pertencido, ter sido apoiante ou ter votado na lista A ou na lista B!

As IPSS devem estar de sentinela à preservação da Unidade e saber utilizar a exigência e a colaboração em relação aos novos Órgãos Sociais, de forma a que as linhas programáticas aprovadas pelo II Congresso sejam cumpridas durante o próximo triénio!


SOLIDARIEDADE
EM UNIDADE
NA DIVERSIDADE !.

 

Data de introdução: 2006-02-22



















editorial

Confiança e resiliência

(...) Além disso, há um Estado que muito exige das Instituições e facilmente se demite das suas obrigações. Um Estado Social não pode transferir responsabilidades para as Instituições e lavar as mãos quanto...

Não há inqueritos válidos.

opinião

José Leirião

A necessidade de um salário mínimo decente
Os salários, incluindo os salários mínimos são um elemento muito importante da economia social de mercado praticada na União Europeia. Importantes disparidades permanecem...

opinião

JOSÉ A. DA SILVA PENEDA

Muitos milhões de euros a caminho
O País tem andado a ouvir todo um conjunto de ideias com vista a serem aproveitados os muitos milhões de euros provenientes da Europa. Sobre o que é preciso fazer as coisas parecem...