FUNDAÇÃO AFID, AMADORA

Maria Cristina Simões vence Prémio Dra. Maria Lutegarda

Maria Cristina Marques Ferreira Simões foi a grande vencedora da primeira edição do Prémio de Investigação Científica Dra. Maria Lutegarda, promovido pela Fundação AFID.
O primeiro Prémio de Investigação Científica Dra. Maria Lutegarda foi atribuído ao projeto «A Qualidade de Vida de Crianças e Jovens com Dificuldade Intelectual e Desenvolvimental: Contributo para Educação Inclusiva», da autoria da investigadora Maria Cristina Marques Ferreira Simões.
“Concorri ao prémio mesmo para divulgar o que tenho feito nesta área, e a área é qualidade de vida, neste caso específico, de crianças e jovens com dificuldade intelectual, com dificuldades acrescidas”, afirmou a vencedora.
As duas menções honrosas foram também atribuídas a Lúcia Maria Neto Canha, pelo trabalho «Transição para a Vida Adulta no Contexto da Deficiência, Estudo das variáveis pessoais e sociais associadas a um processo de sucesso e desenvolvimento de um modelo de intervenção inclusivo», e Ana Sofia Pedrosa Gomes dos Santos, pelo trabalho «A investigação-ação no campo da Dificuldade Intelectual e Desenvolvimental».
Esta é uma iniciativa pioneira, de periodicidade bienal, constituída por um prémio no valor de 8.000 euros e duas menções honrosas de 1.500 euros. O Prémio de Investigação Científica Dra. Maria Lutegarda tem como objetivo estimular e mobilizar para a criação e desenvolvimento de trabalhos de investigação e de inovação sobre a reabilitação junto de pessoas com deficiência.
A primeira edição teve 14 projetos de investigação a concurso, nos três graus de ensino superior público e privado (Licenciatura, Mestrado e Doutoramento), e contou com o Alto Patrocínio da Presidência da República e com os apoios da Fundação Montepio e da Câmara Municipal da Amadora.
Domingos Rosa, presidente da Fundação, quando questionado sobre a herança deixada por Maria Lutegarda, começou por dizer que a mesma “trouxe à nossa casa (AFID) a felicidade”, acrescentando: “Os nossos utentes são pessoas que se sentem bem dentro de casa e ela conseguiu introduzir essa cultura, quer da qualidade quer da felicidade, e são dois aspetos fundamentais numa organização desta natureza”.

 

Data de introdução: 2020-01-08



















editorial

VACINAÇÃO DOS LARES

(...) Globalmente, a vacinação está a correr bem. Que, com toda a transparência, alguns “dirigentes ativos” foram sendo vacinados. Que tudo deve ser feito para evitar abusos. E que, acontecendo algum abuso, ele tem de ser condenado.

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA, PRES. CONF. PORTUGUESA DO VOLUNTARIADO

Ao Presidente da República eleito
(...) A si, senhor Presidente da República eleito, felicito-o por ter sido a escolha, maioritariamente, preferida pelos votantes. Saiba que, apesar da limitação de poderes que a...

opinião

JOSÉ A. DA SILVA PENEDA

Na gestão da pandemia não houve planeamento, há arrogância e falta de coragem
(...) Começo por constatar, e penso que não estarei isolado nesta apreciação, que a atividade do governo no último ano tem-se concentrado na gestão da pandemia e...