SEVER DO VOUGA

Município vai ter Balcão de Inclusão

O município de Sever do Vouga vai passar a ter um Balcão de Inclusão, acordado com o Instituto Nacional para a Reabilitação (INR) para executar políticas dirigidas às pessoas com incapacidade, anunciou hoje fonte municipal.

O município irá disponibilizar um espaço de atendimento ao público, com condições de acessibilidade, dotado com meios informáticos adequados para ser possível aceder à internet e utilizar bases de dados informativas.

Por seu turno, o INR irá contribuir, disponibilizando recursos, assegurando a realização de formação complementar aos técnicos que venham a ser afetos ao Balcão da Inclusão, e através uma linha telefónica para contactos exclusivos aos Balcões de Inclusão.

Os Balcões de Inclusão têm como objetivo prestar atendimento especializado a pessoas com deficiência, dando-lhes uma informação global e integrada sobre os seus direitos, benefícios e recursos existentes.

Questões como prestações e respostas sociais, emprego e formação profissional, produtos de apoio, benefícios fiscais, acessibilidades, intervenção precoce e educação, encontram no Balcão de Inclusão as soluções propostas para cada situação.

De acordo com informação avançada pela autarquia, "brevemente será prestado atendimento qualificado aos munícipes e respetivas famílias, bem como aos técnicos de reabilitação e instituições que desenvolverem qualquer tipo de atividade neste domínio".

Em preparação está também o encaminhamento e desenvolvimento de uma função de mediação junto dos serviços públicos e entidades privadas responsáveis.

"Pretende-se estabelecer parcerias locais que permitam criar respostas mais eficazes e divulgar a apropriação de boas práticas no atendimento do munícipe com deficiência ou incapacidade", explica uma nota da Câmara de Sever do Vouga.

 

Data de introdução: 2020-01-06



















editorial

VACINAÇÃO DOS LARES

(...) Globalmente, a vacinação está a correr bem. Que, com toda a transparência, alguns “dirigentes ativos” foram sendo vacinados. Que tudo deve ser feito para evitar abusos. E que, acontecendo algum abuso, ele tem de ser condenado.

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA, PRES. CONF. PORTUGUESA DO VOLUNTARIADO

Ao Presidente da República eleito
(...) A si, senhor Presidente da República eleito, felicito-o por ter sido a escolha, maioritariamente, preferida pelos votantes. Saiba que, apesar da limitação de poderes que a...

opinião

JOSÉ A. DA SILVA PENEDA

Na gestão da pandemia não houve planeamento, há arrogância e falta de coragem
(...) Começo por constatar, e penso que não estarei isolado nesta apreciação, que a atividade do governo no último ano tem-se concentrado na gestão da pandemia e...