II ENCONTRO NACIONAL DE IPSS PROMOTORAS DE SAÚDE

Jornada de trabalho intensa e muito produtiva

A apresentação do «Diagnóstico de saúde da população servida pelas IPSS associadas da CNIS», estudo coordenado por Felismina Mendes, da Universidade de Évora, foi um dos principais momentos do II Encontro Nacional de IPSS Promotoras de Saúde, que decorreu em Fátima.

Os dados revelados pela coordenadora do estudo, e ainda pelo seu colega em Évora César Fonseca, foram alvo de alguma análise e debate pelos dirigentes e técnicos presentes, em especial as estratégias e dinâmicas sugeridas.

Felismina Mendes comentou no final que, pelos resultados, “são precisos mais e melhores recursos”, constata-se uma “falha do Estado para com os deficientes” e que “há um crescente afastamento, ausência e subfinanciamento do Estado”.

Houve bastante debate e muita participação da plateia, o que enriqueceu a jornada de trabalho.

Ao longo do dia, outros temas muito interessantes e importantes para as IPSS foram abordados, como a Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados, a Saúde Mental, os Cuidados Paliativos, entre outros, mas também a Contratualização em Saúde, com diversas instituições a darem nota das suas experiências.

O SOLIDARIEDADE irá dar destaque ao Encontro Nacional e ao estudo agora apresentado na próxima edição em papel, brevemente numa instituição perto de si.

 

Data de introdução: 2018-09-30



















editorial

Compromisso de Cooperação

As quatro organizações representativas do Sector  (União das Mutualidades, União das Misericórdias, Confecoop e CNIS) coordenaram-se entre si. Viram, ouviram e respeitaram. 

Não há inqueritos válidos.

opinião

JOSÉ A. DA SILVA PENEDA

Regionalização
O tema regionalização mexe com interesses. Por isso, não é pacífico. Do que se trata é de construir uma forma diferente de distribuição de poder e,...

opinião

ANTÓNIO JOSÉ DA SILVA

Primaveras que nunca chegaram
Morreu não há muito, em pleno tribunal onde iria ser julgado pela segunda vez, aquele que foi presidente egípcio entre 2012 e 2014, altura em foi deposto por um golpe militar...