ASSOCIAÇÃO DE PARALISIA CEREBRAL DE COIMBRA

Dois dias de festa com «Coimbra a Brincar»

«Coimbra a Brincar», nos dias 26 e 28, vai invadir novamente a cidade do Mondego e proporcionar cerca de sete dezenas de iniciativas – que correspondem a mais de 150 atividades – para todas as idades e completamente gratuitas. A iniciativa é da Associação de Paralisia Cerebral de Coimbra (APCC), que juntamente com alguns parceiros, pretende fazer Coimbra (re)descobrir a alegria do brincar.
A festa já foi apresentada com uma pequena amostra da alegria contagiante que se pretende no evento, através de uma Grande Parada que uniu a Alta a Santa Clara.
Muitas centenas de pessoas, partindo do Largo de D. Dinis e do Mosteiro de Santa Clara-a-Velha, percorreram as ruas com muita música, cor e alegria, juntando-se depois na Praça 8 de Maio para dar a conhecer o programa do «Coimbra a Brincar» que terá jogos tradicionais gigantes, experiências científicas, futebol dentro de bolhas, passeios a cavalo, peças de teatro, atuações musicais, caças ao tesouro, visitas pedagógicas e muito mais.
O programa completo do «Coimbra a Brincar 2017» está disponível em www.apc-coimbra.org.pt/coimbrabrincar, onde é possível conhecer em detalhe cada uma das atividades planeadas e o respetivo público-alvo, assim como realizar as inscrições (que garantem lugar nas iniciativas com limite de participantes).
O evento é dirigido a escolas, lares, instituições sociais, famílias, amigos, empresas e a todos os que queiram (voltar a) brincar.
Todas as atualizações sobre o «Coimbra a Brincar» e outras ações a ele associadas são feitas em www.facebook.com/CoimbraaBrincar.
É aí que, de resto, já decorre o concurso #todosbrincam, através do qual são desafiadas empresas, escolas/instituições, famílias e grupos de amigos para fazerem uma fotografia ou um vídeo que comprove um momento de brincadeira.

 

Data de introdução: 2017-05-21



















editorial

Qualidade e Qualificação

O que quer que se faça nas Instituições de Solidariedade, seja ao nível dos processos de gestão, seja ao nível dos recursos humanos ou doutros recursos, não constitui um fim em si mesmo, mas sim instrumentos para atingir o fim...

Não há inqueritos válidos.

opinião

PADRE JOSÉ MAIA

Dignidade e Direitos Humanos
Vivemos tempos conturbados em que a supremacia do poder económico e financeiro sobre o poder político se vai impondo, atirando para as periferias da pobreza e das várias...

opinião

ANTÓNIO JOSÉ DA SILVA

Estados Unidos e Rússia: uma relação menos clara
Nos anos que mediaram entre o fim segunda guerra mundial e o desaparecimento da União Soviética, as relações entre a Rússia e os Estados Unidos foram sempre muito claras....