ENCONTRO NACIONAL

IPSS estão sempre ávidas por mais conhecimento

A CNIS promoveu no passado dia 30 de setembro o Encontro Nacional «IPSS Promotoras de Saúde – Uma influência positiva nos determinantes da saúde», que levou até ao auditório do Conservatório de Música de Coimbra cerca de 400 dirigentes e técnicos de IPSS de todo o País. “Um dia sabe sempre a pouco”, começou por referir Maria João Quintela, dirigentes da CNIS com o pelouro da Saúde e principal responsável pelo encontro, mostrando-se satisfeita com a adesão e interesse demonstrado pelos participantes: “As pessoas estiveram muito interessadas e, de forma esmagadora, mostraram o seu grande agrado pelos conteúdos, preletores e alocuções”. Para a dirigente, “este foi um primeiro passo para esta perceção das próprias instituições da sua enorme capacidade na intervenção na saúde das pessoas”, sublinhando que “é muito importante que toda a gente, entidades públicas e população em geral, percebam o trabalho fundamental que as IPSS já desenvolvem na prevenção da doença e na promoção da saúde”.

O Encontro Nacional versou três grandes temas de grande atualidade para as IPSS: Cuidados Continuados Integrados, Envelhecimento Ativo e Saúde Mental. “Este foi um contributo para a consciencialização de todos do trabalho que as instituições já fazem nestas três vertentes, que são muito importantes para as IPSS, tanto no plano teórico como prático, e serve igualmente para nos motivar a continuá-lo”, sustentou Maria João Quintela, que se mostrou bastante agradada com a postura da plateia: “Gostei muito de ver a forma como as instituições reagem ao conhecimento, sempre ávidas por mais e por aprofundamento”.

Consultar a Reportagem integral do Encontro Nacional AQUI:

 

 

Data de introdução: 2016-10-15



















editorial

COOPERAÇÃO E FISCALIZAÇÃO

Estabelece a nossa Constituição o parâmetro normativo aplicável às IPSS, que se traduz, por um lado, no seu direito ao apoio do Estado e, por outro, na sua sujeição à fiscalização estadual.

Não há inqueritos válidos.

opinião

ANTÓNIO JOSÉ DA SILVA

As consequências de um referendo
Não obstante as dúvidas que se levantam muitas vezes quanto à observância de todas as normas que devem regular os referendos, estes são sempre uma das expressões...

opinião

MANUELA MENDONÇA, PRESIDENTE DA ASSEMBLEIA GERAL DA CNIS

Até sempre!
Decorridos pouco mais de 12 anos sobre a minha primeira participação na Direcção da CNIS, posição seguida de outros lugares de menor relevo e que culminou com dois...