CAMPANHA DA CNIS

Restaurar a Esperança

A CNIS, em boa hora se associou à campanha “Restaurar a Esperança” a favor da restauração das áreas afectadas do Sudeste Asiático devido ao terrível maremoto/tsunami, ocorrido em 26 de Dezembro passado, promovida pelo Governo Português e pelas Instituições de Solidariedade e das Organizações não Governamentais.

Foi criada uma equipa de trabalho, coordenada pelo Sr. Dr. Acácio Catarino, que tem por objectivo promover a coordenação dos esforços de todas as Instituições, no sentido de alcançar uma conjugação estratégica das acções de solidariedade em curso.

É de enaltecer o forte empenho solidário da sociedade portuguesa que se tem vindo a traduzir em contributos da mais diversa natureza, com especial relevância dos donativos financeiros canalizados para as diferentes contas abertas por várias instituições públicas e privadas.

No que nos diz respeito, penso ter chegado o momento de demonstrarmos na prática a nossa solidariedade, o grande “sinal” que nos distingue.

Todos podemos “presenciar”, a enorme escala da desgraça ocorrida, cujos efeitos se prolongarão (desalojamento de milhões de pessoas; perigo de epidemias).

A solidariedade internacional faz-se sentir da parte de todo o mundo.

Por isso apelo a todos os Dirigentes que, pelas formas mais diversas e imaginativas, dinamizem todos os seus utentes, funcionários e voluntários de forma a contribuirmos com algum pequeno ou grande donativo que faça engrossar a nossa conta aberta para o efeito.

NIB: 0036 0093 99100067797 10 do Montepio Geral (Porto)

Um dos compromissos desta comissão é dar a conhecer o montante das receitas de todas as contas, ou despesas, e o destino desta campanha, através de notas e conferências de imprensa junto dos meios de comunicação social.

Habitualmente são as IPSS beneficiadas pelas campanhas de solidariedade (e o Natal é bem exemplo disso), agora somos convidados a ajudar os outros.

“Ninguém é tão pobre, que não tenha nada para dar”. Estou profundamente convicto de que a CNIS através das suas associadas irá demonstrar diante da opinião pública que fazemos parte desta grande corrente de generosidade que invadiu o mundo inteiro. 

O Presidente da CNIS
Cónego Francisco Crespo

 

Data de introdução: 2005-01-20



















editorial

SUSTENTABILIDADE

Quando o XXIV Governo Constitucional dá os primeiros passos, o Sector Social Solidário, que coopera com o Estado, deve retomar alguns dossiers. Um deles e que, certamente, se destaca, é o das condições de sustentabilidade que constituem o...

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA

Agenda 2030 e as IPSS
Em Portugal é incomensurável a ação que as cerca de 5 mil Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) existentes, têm vindo a realizar.  As...

opinião

PAULO PEDROSO, SOCIÓLOGO, EX-MINISTRO DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE

A gratuitidade das creches entre o reforço do setor social e a privatização liberal
 A gratuitidade das creches do sistema de cooperação e das amas do Instituto de Segurança Social, assumida pela Lei Nº 2/2022, de 3 de janeiro, abriu um capítulo novo...