GRANDE PORTO

O Natal da Solidariedade

Recolhas de fundos, vendas de Natal, lançamentos de discos e livros, idas ao circo, iniciativas de todo o tipo inspiradas no tema da solidariedade estão a contagiar muitas instituições e entidades de todo o país. Várias organizações do Grande Porto estão a aproveitar o espírito natalício para promover projectos sociais e de solidariedade.

É o caso das Irmãs Franciscanas hospitaleiras da Imaculada Conceição, ordem religiosa que acolhe e educa crianças desfavorecidas em Moçambique e que está a promover uma venda de Natal numa empresa de Mosteiró, Vila do Conde. As receitas obtidas revertem a favor da obra Meninas da Mãe Clara, que aquela ordem promove em Moçambique.

A AMI, por seu lado, promove em 16 de Dezembro um recital de música com o pianista Constantin Sardu cujas receitas revertem a favor do Abrigo Nocturno do Porto. Dois dias depois, mas já no Centro, a AMI acolhe a orquestra dos Antigos Alunos da Universidade de Coimbra, que contará com a presença em palco dos 120 músicos que participam no CD a lançar naquele dia.

Também a banda UHF lança no Natal um disco que permitirá à AMI aumentar os seus fundos de maneio. A Comissão de Protecção de Crianças e Jovens de Gondomar promove, com o apoio da câmara local, a campanha de solidariedade "Uma Família, Um Presente", que visa recolher brinquedos para posterior entrega junto das crianças mais carenciadas do concelho.

A Fundação para o Desenvolvimento Social do Porto e o Moto Clube da cidade optaram por um modelo mais inovador, apostando na imagem de um "Pai Natal motociclista" que distribuirá sábado lembranças pelos jovens da Obra do Frei Gil e da Casa do Vale, que passarão o dia no Edifício da Alfândega.

A Câmara do Porto, mais tradicional, preferiu promover idas de crianças ao circo instalado no terreno da antiga Feira Popular. O Shopping Cidade do Porto juntou o Natal à ciência e promoveu no seu interior circuitos que permitirão às crianças confrontar-se com "workshops" científicos que lhes permitirão descobrir os segredos da neve e dos seus cristais, do algodão doce e das nuvens.

 

Data de introdução: 2004-12-18



















editorial

SUSTENTABILIDADE

Quando o XXIV Governo Constitucional dá os primeiros passos, o Sector Social Solidário, que coopera com o Estado, deve retomar alguns dossiers. Um deles e que, certamente, se destaca, é o das condições de sustentabilidade que constituem o...

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA

Agenda 2030 e as IPSS
Em Portugal é incomensurável a ação que as cerca de 5 mil Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) existentes, têm vindo a realizar.  As...

opinião

PAULO PEDROSO, SOCIÓLOGO, EX-MINISTRO DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE

A gratuitidade das creches entre o reforço do setor social e a privatização liberal
 A gratuitidade das creches do sistema de cooperação e das amas do Instituto de Segurança Social, assumida pela Lei Nº 2/2022, de 3 de janeiro, abriu um capítulo novo...