FESTA DA SOLIDARIEDADE 2013

Na cidade da Guarda a Solidariedade brilha mais alto

Este ano a Festa da Solidariedade realiza-se na Guarda, no dia 28 e 29 de Junho. É a sétima edição da iniciativa anual da CNIS que começou em Lisboa, em Setembro de 2007, seguiu para Barcelos, passou por Viseu, Castelo Branco, Santarém e, no ano passado, chegou a Faro, a capital do Algarve. O encontro anual de representantes das Instituições Particulares de Solidariedade Social vai decorrer durante a noite de sexta, com um serão musical, e durante todo o dia de sábado, com a manhã sob o signo do desporto e a tarde com a habitual animação solidária.
A primeira parte da festa é a costumeira iniciativa da Chama da Solidariedade que estabelece a ligação entre o último local da festa, Faro, e o destino deste ano: Guarda. O facho solidário é aceso no dia 24 de Junho, no Algarve e durante toda a semana atravessa, com iniciativas locais, os distritos de Setúbal, Lisboa, Leiria e Coimbra, até chegar à Guarda, no dia 28 de Junho.
Eleutério Alves é mais uma vez o coordenador da Festa da Solidariedade. O dirigente da CNIS sublinha que “a caminhada da Chama da Solidariedade tem um carácter simbólico muito forte. É uma forma de chamar a atenção para o trabalho inestimável que as IPSS de todo o país estão a fazer nestes tempos de crise.” Para acompanhar o fogo solidário as IPSS, Uniões distritais e colectividades desdobram-se em esforços criativos que se transformam em caminhadas, passeios de barco, a cavalo, de motards, cortejos automóveis, enfim, tudo vale para animar a travessia desde o Algarve até à cidade da Guarda.
Eleutério Alves tem estado na liderança da equipa que há seis anos consecutivos leva a efeito esta organização. “Seria normal que tanto a CNIS, as Uniões, como as próprias IPSS alegassem dificuldades de contexto económico para suspenderem esta iniciativa. O que verificamos é que o designado espírito solidário parece ter energias inesgotáveis. O que mais impressiona é a disponibilidade, a boa vontade, a criatividade e a participação de utentes, funcionários, familiares, amigos, dirigentes e populações que se envolvem e dão sentido a esta Festa.”
A União distrital da Guarda assumiu a responsabilidade de organizar localmente a Festa deste ano. Eleutério Alves sublinha o empenho dos dirigentes distritais e a participação das IPSS do distrito. “A partir da cidade da Guarda vai ser possível mostrar ao país a face da solidariedade que, nos tempos que correm, não vira a cara às dificuldades das pessoas em crise”.
GUARDA CONTA COM TRÊS MIL PARTICIPANTES
A União Distrital das Instituições Particulares de Solidariedade Social (UDIPSS) da Guarda espera reunir cerca de três mil participantes de todo o País, na Festa da Solidariedade, a realizar, naquela cidade, nos dias 28 e 29 de Junho. “Será um programa interessante, leve, agradável e diversificado”, anunciou Virgílio Ardérius, presidente da UDIPSS da Guarda, entidade que vai promover o evento, em estreita colaboração com a CNIS. “Ainda temos razões para fazer a Festa da Solidariedade e para chamarmos a atenção de Portugal inteiro” para o facto de a instituições sociais serem “um contributo para minorar as dificuldades” sentidas pelas famílias e pelos mais desfavorecidos em tempo de crise, sustentou o responsável.
Na conferência de imprensa de apresentação do evento, Virgílio Ardérius lembrou que devido à situação económica que o País atravessa “as IPSS estão a fazer um esforço muito grande” para manter as respostas sociais, mas “ainda estão a prestar o apoio necessário”. “Temos que fazer festa para animar o espírito e ganhar coragem para enfrentar o futuro”, declarou.
“Pretendemos, este ano, dar-lhe uma dimensão inter-geracional e inter-institucional, juntando em clima de festa os mais novos e os mais velhos e quantos por diversas formas e movimentos se dedicam à nobre e gratificante causa da solidariedade”, disse o dirigente da UDIPSS Guarda.
O evento começa no dia 28 de Junho, pelas 20h00, no Parque Urbano do Rio Diz (Parque da Cidade), na área urbana da Guarda, com a concentração dos participantes que acompanharão a Chama da Solidariedade até ao largo da Sé Catedral, onde será recebida pelas entidades oficiais. Haverá ainda animação nocturna, naquilo a que Virgílio Ardérius apelida de “Festa da Luz”, numa referência directa à “exultação da Chama”.
O programa prossegue no dia seguinte, no Parque da Cidade e no Estádio Municipal da Guarda, com animação e actividades desportivas.
Um dos destaques daquele dia será um jogo de futebol feminino entre uma equipa da Fundação Dª Laura Santos, de Moimenta da Serra, e uma outra de cariz nacional que incluirá atletas da Selecção Nacional.
O acesso ao jogo será feito através da oferta de produtos alimentares que reverterão a favor de instituições de cariz social do distrito da Guarda.
A direção da UDIPSS da Guarda referiu que foram convidados a participar no evento o ministro da Solidariedade e da Segurança Social e respectivo secretário de Estado.

 

Data de introdução: 2013-06-16



















editorial

SUSTENTABILIDADE

Quando o XXIV Governo Constitucional dá os primeiros passos, o Sector Social Solidário, que coopera com o Estado, deve retomar alguns dossiers. Um deles e que, certamente, se destaca, é o das condições de sustentabilidade que constituem o...

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA

Agenda 2030 e as IPSS
Em Portugal é incomensurável a ação que as cerca de 5 mil Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) existentes, têm vindo a realizar.  As...

opinião

PAULO PEDROSO, SOCIÓLOGO, EX-MINISTRO DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE

A gratuitidade das creches entre o reforço do setor social e a privatização liberal
 A gratuitidade das creches do sistema de cooperação e das amas do Instituto de Segurança Social, assumida pela Lei Nº 2/2022, de 3 de janeiro, abriu um capítulo novo...