MACEDO DE CAVALEIROS

Projecto solidário quer ajudar a melhorar habitação de carenciados

Várias instituições de Macedo de Cavaleiros uniram-se num projecto que apela à solidariedade e voluntariado para ajudar a melhorar as condições de habitabilidade de quem precisa no concelho transmontano. "Mãos Unidas... Mãos à Obra" é o nome e o desafio do projeto, que apela à generosidade de todos que queiram contribuir com máquinas, ferramentas, materiais, excedentes de obras em casa ou mão-de-obra.

Esta ideia visa também criar "um banco de materiais de construção, para näo deixar sem abrigo alguém que vive ao nosso lado", divulgou a Câmara de Macedo de Cavaleiros, parceira do projecto, juntamente com a Santa Casa da Misericórdia e outras instituições locais.

Os jovens MIC (Marianos da Imaculada Conceição), uma organização católica de Balsamão, freguesia do concelho, foram os primeiros a dar o exemplo e puseram mãos à obra, dando início aos trabalhos de limpeza para reabilitar a casa de um idoso, na aldeia de Gralhós.

Duas empresas do concelho associaram-se ao projecto, uma delas oferecendo telhas para a casa deste idoso, que vive sem condições de habitabilidade, e outra irá avaliar a obra para participar no seu desenvolvimento.

A iniciativa "Mãos Unidades... Mãos Obras" surge, segundo o município de Macedo de Cavaleiros, no âmbito do projeto VIDA, em curso no concelho com acções para a inserção social. Para os seus responsáveis, "a habitação constitui uma peça basilar na vida das pessoas e, por isso, um alicerce na construçäo dos projectos de vida, constituindo desta forma uma componente fundamental para o estabelecimento de processos de inserção sustentados e duradouros".

 

Data de introdução: 2012-09-03



















editorial

As amas em Creche Familiar

Publica-se neste número do “Solidariedade” o texto do acordo com a FSUGT, na parte que contempla também os novos valores de remunerações acordado para vigorar a partir de 1 de janeiro de 2024.

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA

A propósito do contributo da CNIS para as próximas eleições
É já tradição que as organizações de diferentes âmbitos, aproveitem os atos eleitorais para fazerem valer as suas reivindicações mais...

opinião

PAULO PEDROSO, SOCIÓLOGO, EX-MINISTRO DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE

Cuidar da democracia
Neste ano vamos a eleições pelo menos duas vezes (três para os açorianos), somos chamados a renovar o nosso laço político com a comunidade, escolhendo...