COMISSÃO NACIONAL JUSTIÇA E PAZ

“Por uma Sociedade sem armas: Desarmar os corações”

A Comissão Nacional Justiça e Paz (C.N.J.P.), através do seu Observatório sobre a produção, o comércio e a proliferação das armas ligeiras, vai organizar, no próximo dia 28 de Outubro, uma festa para crianças e jovens, com o tema: “Por uma Sociedade sem armas: Desarmar os corações”. A CNIS é um dos parceiros nesta iniciativa.

Numa carta explicativa enviada a todos os parceiros, a presidente da CNPJ, Manuela Silva, afirma que “esta iniciativa vem na sequência de diversos trabalhos para sensibilizar a opinião pública sobre a problemática da proliferação das armas no nosso País e, por outro lado, integra-se na campanha de entrega voluntária de armas que o Governo está a promover, após regulamentação da recente Lei sobre o uso e porte de armas. Neste sentido, para quê esta festa? Para sensibilizar crianças, jovens, pais, educadores e por sua vez toda a sociedade civil. Com esta festa queremos mostrar que é possível vivermos numa sociedade segura porque é livre de armas. Para isso, vamos começar por mostrar a nossa vontade de desarmar os corações, dar o primeiro sinal de que é possível construir uma sociedade mais livre, justa e segura.”

Quem faz a Festa? Crianças, jovens, todos os que quiserem participar…
Como? Existem várias formas de participação. A primeira é assistir ao espectáculo, no Fórum Lisboa (Avenida de Roma) das 15 às 17h, no dia 28 de Outubro. Uma outra forma, mais envolvente, é fazer um concurso de desenhos e/ou textos na escola turma, ou grupo e enviar os melhores desenhos/textos. Por fim, e é assim que a Festa se constrói, através da participação com um pequeno teatro, uma canção, uma dança, etc. com as crianças/jovens da sua instituição.

Para qualquer uma das formas de participação precisamos da sua inscrição, por isso apresentamos o folheto em anexo, e pedimos que envie os dados da inscrição (até dia 3 de Outubro), para a sede da CNJP.

Descarregue e imprima o folheto de inscrição (formato pdf)

 

Data de introdução: 2006-09-17



















editorial

O COMPROMISSO DE COOPERAÇÃO: SAÚDE

De acordo com o previsto no Compromisso de Cooperação para o Setor Social e Solidário, o Ministério da Saúde “garante que os profissionais de saúde dos agrupamentos de centros de saúde asseguram a...

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA

Imigração e desenvolvimento
As migrações não são um fenómeno novo na história global, assim como na do nosso país, desde os seus primórdios. Nem sequer se trata de uma realidade...

opinião

PAULO PEDROSO, SOCIÓLOGO, EX-MINISTRO DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE

Portugal está sem Estratégia para a Integração da Comunidade Cigana
No mês de junho Portugal foi visitado por uma delegação da Comissão Europeia contra o Racismo e a Intolerância do Conselho da Europa, que se debruçou, sobre a...