MENSAGEM À REVISTA DO II CONGRESSO DA CNIS

Maria de Lurdes Rodrigues - Ministra da Educação

Quero, antes de mais, felicitar a CNIS pela realização de mais um congresso e deixar uma mensagem de reconhecimento e incentivo a todos aqueles que diariamente trabalham nas instituições de solidariedade social.

O trabalho de proximidade realizado pelas IPSS nas mais diversas áreas da protecção social constituiu um elemento essencial de evolução e justiça social em Portugal, cobrindo áreas e valências que o Estado não assegura totalmente e completando assim as políticas sociais públicas na concretização de um Portugal mais solidário e coeso socialmente.

Particularmente na Educação é de realçar o trabalho levado a cabo pelas IPSS na protecção social na área da infância: nas creches, no pré-escolar e nas Actividades de Tempos Livres no 1º ciclo do ensino básico. É fundamental que, nomeadamente ao nível do 1º ciclo, estas instituições integrem as actividades que desenvolvem com os alunos nos projectos educativos dos agrupamentos.

Este é um trabalho em que todos ganhamos se for feito em parceria, procurando fórmulas mais eficazes em áreas em que ainda há um longo caminho a percorrer. No caso da Educação, e depois do papel central que as IPSS desempenharam no alargamento da rede de Educação Pré-escolar que o país conseguiu na década de 90, devemos, Estado e Sociedade Civil em parceria, enfrentar novos desafios que a Educação de Infância nos coloca, de que o apoio às crianças até aos três anos é um excelente exemplo.

Felicito uma vez mais a CNIS e as IPSS, desejando o maior sucesso para este Congresso e para os desafios que se colocam a todos.



 

Data de introdução: 2006-02-01



















editorial

As amas em Creche Familiar

Publica-se neste número do “Solidariedade” o texto do acordo com a FSUGT, na parte que contempla também os novos valores de remunerações acordado para vigorar a partir de 1 de janeiro de 2024.

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA

A propósito do contributo da CNIS para as próximas eleições
É já tradição que as organizações de diferentes âmbitos, aproveitem os atos eleitorais para fazerem valer as suas reivindicações mais...

opinião

PAULO PEDROSO, SOCIÓLOGO, EX-MINISTRO DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE

Cuidar da democracia
Neste ano vamos a eleições pelo menos duas vezes (três para os açorianos), somos chamados a renovar o nosso laço político com a comunidade, escolhendo...