XV FESTA DA SOLIDARIEDADE – VIANA DO CASTELO 2022

Tocha solidária levou esperança às gentes e territórios da raia minhota

A segunda etapa da Chama da Solidariedade 2022 pelo Alto Minho prosseguiu hoje pelos concelhos mais a norte do distrito de Viana do Castelo e nos quais está delimitada a fronteira com Espanha.

Foi em Melgaço que a tocha solidária retomou a viagem que a levará até Viana do Castelo, onde no sábado (dia 24) se realiza a XV Festa da Solidariedade.

Hoje, em representação da CNIS esteve Eleutério Alves, vice-presidente da CNIS, que esteve sempre acompanhado por Filomena Araújo, presidente da UDIPSS Viana do Castelo, as duas entidades que promovem a Festa da Solidariedade.

Em Melgaço, junto à Câmara Municipal, a Chama da Solidariedade foi recebida por dezenas de crianças, idosos e pessoas portadoras de deficiência, populações que as IPSS servem e ajudam a crescer e a envelhecer da melhor forma possível.

Depois dos discursos, a cargo de Filomena Araújo e de Diva Amaral, chefe de gabinete do presidente da autarquia, foi tempo de dançar, cantar e conviver, naquilo que foi uma manhã muito diferente do habitual para aquelas várias dezenas de utentes de algumas das instituições do concelho.

Dali, o facho da solidariedade seguiu para Monção, onde no Parque das Caldas, um parque idílico à beira-rio, dezenas de idosos e jovens portadores de deficiência, o acolheram calorosamente, antes de presenciarem a atuação musical a cargo da Universidade Sénior local e que terminou com um belo repasto em jeito de piquenique.

António Barbosa, edil de Monção, sublinhou a importância das IPSS, em especial dos seus trabalhadores e dirigentes, nos cuidados que prestam às populações mais vulneráveis, muitos deles que ali estavam a ouvi-lo.

Por seu turno, Eleutério Alves começou por dizer que “Monção é, hoje, a capital da solidariedade”, lembrando que a solidariedade e o voluntariado que move as instituições são dois sentimentos dos mais importantes que o ser humano pode sentir.

Já depois do almoço, a Chama da Solidariedade rumou a Valença, mais uma vez, recebida por diversas instituições sociais do concelho e ainda pela autarquia, na pessoa da vereadora Ana Paula Xavier, que detém, entre outros, o pelouro da Coesão Social e Habitação.

Também ali houve animação musical, que animou um pouco mais a diferente tarde que os utentes que ali se deslocaram viveram.

Amanhã, a Chama tem passagem marcada a Vila Nova de Cerveira, Paredes de Coura e Caminha, antes de seguir para Viana do Castelo.

 

Data de introdução: 2022-09-22



















editorial

As amas em Creche Familiar

Publica-se neste número do “Solidariedade” o texto do acordo com a FSUGT, na parte que contempla também os novos valores de remunerações acordado para vigorar a partir de 1 de janeiro de 2024.

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA

A propósito do contributo da CNIS para as próximas eleições
É já tradição que as organizações de diferentes âmbitos, aproveitem os atos eleitorais para fazerem valer as suas reivindicações mais...

opinião

PAULO PEDROSO, SOCIÓLOGO, EX-MINISTRO DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE

Cuidar da democracia
Neste ano vamos a eleições pelo menos duas vezes (três para os açorianos), somos chamados a renovar o nosso laço político com a comunidade, escolhendo...