FESTA DA SOLIDARIEDADE 2022

Quatro dias para celebrar o espírito solidário e a mão protetora das IPSS

A cidade de Viana do Castelo recebe, no próximo dia 24 de setembro, a 15ª Festa da Solidariedade, numa iniciativa que Filomena Araújo, presidente da União Distrital das IPSS vianenses, apelida de “Festa da Gratidão”.
“Esta é, acima de tudo, a Festa da Gratidão para com as IPSS, mostrando ao país que em tempos difíceis não baixam os braços, nem nunca irão baixar, se continuarem todas as IPSS a ter o apoio incondicional da comunidade. A proximidade com aqueles que as IPSS apoiam é a marca inconfundível deste sector”, começa por dizer, ao Solidariedade, acrescentando: “A Festa da Solidariedade no distrito de Viana do Castelo pretende ser um momento de partilha e alegrias entre as IPSS e a comunidade. Após estes difíceis anos da pandemia, todos temos necessidade de convívio, de estar com o outro, de partilhar momentos e, acima de tudo, mostrar o excelente trabalho desenvolvido pelas IPSS no apoio à comunidade onde se inserem”.
Sobre o que será a 15ª edição da Festa da Solidariedade, que decorrerá no Jardim da Marginal de Viana do Castelo, “a prioridade foi criar momentos de partilha entre as IPSS e a comunidade e, principalmente, que a alegria fosse traço dominante no evento”.
Por outro lado, “dar a conhecer o trabalho que as IPSS deste país desenvolvem e que, muitas vezes, não é do domínio público e muito menos da comunicação social” foi outra das linhas condutoras na elaboração do guião da Festa, porque, para Filomena Araújo, as IPSS Têm “de ser capazes de dar maior visibilidade ao excelente trabalho desenvolvido”.
Como há muitos anos a esta parte, antes da Festa, a Chama da Solidariedade percorrerá o distrito, levando o espírito solidário aos demais nove concelhos do distrito vianense.
“Tendo a UDIPSS Viana do Castelo aceitado o desafio de, em conjunto com a CNIS, realizar a Festa da Solidariedade de 2022, desde o primeiro momento que envolvemos todos os 10 concelhos do distrito e, por isso, a Chama irá atravessar todos os concelhos”, refere Filomena Araújo.
Assim, o périplo da Chama começa dia 21 de setembro nos Arcos de Valdevez e termina dia 24 em Viana do Castelo, no Jardim da Marginal para a Festa.
“Nenhum concelho ficou de fora e todas as IPSS foram convidadas a aderir à Festa. A Chama da Solidariedade irá assim percorrer todos os concelhos, levando consigo a alegria e a esperança de maior reconhecimento deste sector”, acrescenta.
Assim, ainda no dia 21, a Chama da Solidariedade passará por Ponte da Barca e Ponte de Lima. No dia seguinte será a vez dos concelhos de Melgaço, Monção e Valença, para no dia 23 a caravana da Solidariedade visitar os concelhos de Vila Nova de Cerveira, Paredes de Coura e Caminha.
Em todos os concelhos a Chama será recebida oficialmente pelas entidades locais, pelas IPSS de cada concelho e seus utentes, havendo ainda momentos de convívio com a comunidade envolvente.
Filomena Araújo revela que a abertura das IPSS e dos autarcas do distrito para participarem na Festa e Chama da Solidariedade foi grande e que “as autarquias, assim como as IPSS, estão desde o primeiro momento envolvidas na Festa”.
“Mesmo as IPSS não associadas da CNIS/UDIPSS estão envolvidas desde o primeiro momento. Esta é a Festa do Terceiro Sector e como tal todos devem participar. O distrito não possui um grande número de IPSS, mas todas irão dar o seu melhor para que esta Festa seja vivida pelos colaboradores, direções, utentes e comunidade com alegria e esperança num futuro, cada vez mais, solidário e unido”, afirma, acrescentando: “Todas as autarquias receberam este evento de braços abertos com a disponibilização de apoios nos concelhos para que a mesma decorra o melhor possível. Há concelhos que tem poucas IPSS, outros com muitas, mas nenhuma deixou de apoiar a Festa de acordo com as suas disponibilidades. Este é, sem dúvida, mais um grande momento em que a união de todas as autarquias com o sector social sai reforçada”.
Apesar de não haver um lema oficial, a presidente da UDIPSS Viana do Castelo, tendo em conta que “a Festa da Solidariedade deste ano reflete aquilo que vivemos nos últimos anos”, avança com uma sugestão: “As IPSS não baixam os braços perante as dificuldades. Apoiem este sector”.
Filomena Araújo incita todos a participarem na Festa da Solidariedade 2022, oportunidade para partilhar alegrias e regressar ao convívio, depois de dois anos de afastamentos pandémicos.
“A mensagem é a mesma que vimos a deixar pelo distrito: venham e participem, tragam o vosso trabalho para mostrar à comunidade, tragam os vossos utentes para que convivam e interajam uns com os outros, para que as tristezas dos últimos anos fiquem para trás e para que a alegria regresse ao rosto de todos”.
Para a líder da UDIPSS Viana do Castelo, é necessário que “a comunidade possa viver com as IPSS esses dias de Festa, apoiando o trabalho das mesmas e mostrando que sem elas a nossa sociedade seria muito mais frágil”.
Assim, de 21 a 24 de setembro a Chama da Solidariedade visitará todos os concelhos do distrito de Viana do Castelo, para no derradeiro dia iluminar a Festa que tomará conta do Jardim da Marginal, na capital de distrito.

Pedro Vasco Oliveira

 

Data de introdução: 2022-09-08



















editorial

IMPORTÂNCIA ECONÓMICA E SOCIAL DAS IPSS

Para uma quantificação atualizada da importância social e económica das Instituições Particulares de Solidariedade Social em Portugal a CNIS assegurou o cofinanciamento do Programa Operacional Inclusão Social e Emprego (POISE),...

Não há inqueritos válidos.

opinião

JOSÉ A. SILVA PENEDA

A sustentabilidade da Segurança Social
Quando se tenta perspetivar o que pode acontecer no futuro aos sistemas de segurança social há variáveis que são mais fáceis de prever, mas também existem outras...

opinião

EUGÉNIO FONSECA, PRES. CONF. PORTUGUESA DO VOLUNTARIADO

Só quando for um desígnio nacional será erradicada a pobreza
Nas últimas semanas, a pobreza em Portugal voltou a ser tema de abertura em todos os medias. Esta atenção especial deveu-se a informações preocupantes emanadas de fontes...