FUNDAÇÃO DR. JOSÉ LOURENÇO JÚNIOR, POMBAL

Instituição leva cuidados de saúde ao domicílio dos mais idosos

A Fundação Dr. José Lourenço Júnior, em Abiul, conta já com seis meses de implementação no terreno da iniciativa de inovação social «Saúde em Casa», um projeto no âmbito do Programa Parcerias para o Impacto, que conta com o Município de Pombal como parceiro social.
Apesar do contexto adverso provocado pela pandemia, o projeto já abrange 19 seniores da freguesia de Abiul, aos quais é feita uma avaliação preliminar gratuita de forma a perceber as potenciais necessidades de cada um.
A iniciativa «Saúde em Casa» destina-se a maiores de 65 anos que desejam manter-se no seu domicílio, com apoio e supervisão ao nível da sua saúde e bem-estar.
Reconhecendo a necessidade de providenciar bem-estar e qualidade de vida no domicílio, assegurando um serviço de acompanhamento personalizado e centrado no utente, a Fundação Dr. José Lourenço Júnior pretende, com os serviços prestados, verificar continuamente a condição de saúde no sentido de prevenir a agudização de condições crónicas pré-existentes, acompanhando de modo permanente a sua condição de saúde e, assim, proporcionar mais confiança e tranquilidade no envelhecimento.
Considerando que, em tempos de pandemia, os mais idosos constituem uma população de risco pelas comorbilidades típicas da idade, o contributo da equipa que intervém no domicílio contribui para um melhor bem-estar e segurança, uma vez que a abordagem é muito focada na prevenção e no encaminhamento para as entidades competentes, sempre que necessário.
De acordo com Jéssica Pereira, assistente social e coordenadora da iniciativa, “os principais benefícios que os utentes retiram da iniciativa prendem-se com o apoio na gestão da terapêutica, a monitorização regular dos sinais vitais, a promoção do envelhecimento saudável com autonomia, a diminuição do isolamento social, o combate ao sedentarismo”.
A equipa de intervenção procede ainda à avaliação do ambiente construído, nomeadamente na identificação de barreiras arquitetónicas que, em tantos casos, levam a quedas no domicílio.
Até ao momento, a recetividade dos idosos tem sido muito positiva, dado que ao longo das intervenções semanais têm-se criado laços de confiança. Na sua maioria, os beneficiários do «Saúde em Casa» “salientam que é sempre uma companhia, uma forma de se manterem ativos, reduzindo o isolamento”, acrescenta a coordenadora.
A equipa multidisciplinar afeta à intervenção é composta pela assistente social, uma terapeuta ocupacional, uma enfermeira e uma auxiliar de saúde.
Jéssica Pereira refere, no entanto, alguns constrangimentos com que a equipa por vezes se depara, como a “dificuldade em atrair mais utentes para a iniciativa, pelas restrições nos contactos, a resistência à modificação de rotinas e hábitos e à sobrecarga no SNS, que dificulta o encaminhamento atempado de situações necessárias”.

 

Data de introdução: 2021-03-25



















editorial

FESTA DA SOLIDARIEDADE

No dia 24 de setembro próximo, em Viana do Castelo, haverá mais uma Festa da Solidariedade. Nos três dias anteriores a Chama da Solidariedade percorrerá os dez concelhos daquele distrito. Desde 2006, é a XV Festa da Solidariedade, uma iniciativa...

Não há inqueritos válidos.

opinião

JOSÉ A. SILVA PENEDA

A degradação das instituições públicas
Nos últimos anos vimos assistindo a uma contínua e impressionante degradação dos serviços públicos. No sistema de justiça, para além da...

opinião

EUGÉNIO FONSECA, PRES. CONF. PORTUGUESA DO VOLUNTARIADO

Transferência de competências: um teste à democracia
Tenho acompanhado o zeloso cuidado com que os dirigentes das organizações nacionais e distritais representativos das Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS)...