CONFEDERAÇÃO PORTUGUESA DO VOLUNTARIADO

Questionário pretende aferir o trabalho voluntário em tempo de pandemia

Face ao momento que se vive, a Confederação Portuguesa do Voluntariado está a promover uma auscultação junto das suas confederadas, às quais solicita o preenchimento e divulgação pelas organizações que representam de um questionário, até ao dia 5 de fevereiro, para uma maior e mais correta sistematização de todos os dados, relativos ao trabalho que, de momento, está a ser feito na área do voluntariado.
Nesse âmbito, a Confederação convoca as confederadas para uma reunião no dia 10 de fevereiro, a partir das 10h00, no sentido de partilhar os resultados do questionário e a atividade voluntária durante a pandemia.
Para a Confederação Portuguesa do Voluntariado a iniciativa justifica-se:
“1. Considerando a situação que ora se vive, em que não há uma consciência generalizada do que se está a fazer no país a pessoas de risco, em confinamento, muito embora muitas confederadas estejam já no terreno;
2. Considerando que grande parte deste trabalho está a ser feito, através da boa vontade de “voluntários” espontâneos e não sabemos ainda quais as barreiras que estão a ser construídas para a disseminação deste vírus, aumentando assim a necessidade de uma correta gestão de espaços de intervenção para que ninguém fique para trás;
3. Considerando que o momento que vivemos exige mais do que espera, e que em termos da opinião pública em geral, é notória a importância do voluntariado nestas e noutras ações;
4. Considerando que é preciso fazer acontecer “agora” para nos podermos salvar e ajudar a salvar outros, os que mais precisam, desta situação desesperante”.

O questionário pode ser encontrado AQUI.

 

Data de introdução: 2021-01-28



















editorial

As amas em Creche Familiar

Publica-se neste número do “Solidariedade” o texto do acordo com a FSUGT, na parte que contempla também os novos valores de remunerações acordado para vigorar a partir de 1 de janeiro de 2024.

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA

A propósito do contributo da CNIS para as próximas eleições
É já tradição que as organizações de diferentes âmbitos, aproveitem os atos eleitorais para fazerem valer as suas reivindicações mais...

opinião

PAULO PEDROSO, SOCIÓLOGO, EX-MINISTRO DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE

Cuidar da democracia
Neste ano vamos a eleições pelo menos duas vezes (três para os açorianos), somos chamados a renovar o nosso laço político com a comunidade, escolhendo...