ATELIERS DE TEMPOS LIVRES

Abertura dos ATL a dois tempos

Os Ateliers de Tempos Livres (ATL) que não estão integrados em estabelecimentos escolares reabrem esta segunda-feira, dia 15 de Junho. Os restantes só a 26 de Junho. Excecionalmente, algumas das IPSS terão aberto antes a valência de ATL.

O presidente da Confederação Nacional de Instituições de Solidariedade, Lino Maia, explicou que «o anúncio foi feito para dia 1 de Junho, as instituições prepararam-se para isso. Depois, a data passou para dia 15. A pressão da comunidade pode ter levado estes espaços a abrir».

A reabertura dos ATL, recorde-se, estava agendada para dia 1 de Junho, no mesmo dia em que voltaram a funcionar as instituições do pré-escolar, mas foi adiada. Na altura, o Governo explicou que as novas datas se deviam à necessidade de preparar a organização dos espaços onde se desenvolvem estas atividades.

A directora-geral da Saúde, Graça Freitas, esclareceu, que a abertura dos ATL terá duas datas diferentes porque «houve necessidade de uma adaptação em função da situação epidemiológica». «Abrirão a partir de 15 de Junho os que não estão integrados em estabelecimentos escolares e a partir de 26 de junho os que estiverem relacionados com as escolas», disse, durante a habitual conferência de imprensa diária de balanço sobre a pandemia de Covid-19 em Portugal.

O regresso é faseado. Primeiro voltam a funcionar os Ateliers de Tempos Livres que não estão integrados em estabelecimentos escolares. A 26 de junho retomam os restantes. A Direcção Geral da Saúde vai divulgar, em breve, as regras para a reabertura.

VER AQUI A NOTÍCIA DA RTP. https://www.rtp.pt/noticias/pais/reabrem-os-ateliers-de-tempos-livres_v1236679

 

Data de introdução: 2020-06-13



















editorial

As amas em Creche Familiar

Publica-se neste número do “Solidariedade” o texto do acordo com a FSUGT, na parte que contempla também os novos valores de remunerações acordado para vigorar a partir de 1 de janeiro de 2024.

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA

A propósito do contributo da CNIS para as próximas eleições
É já tradição que as organizações de diferentes âmbitos, aproveitem os atos eleitorais para fazerem valer as suas reivindicações mais...

opinião

PAULO PEDROSO, SOCIÓLOGO, EX-MINISTRO DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE

Cuidar da democracia
Neste ano vamos a eleições pelo menos duas vezes (três para os açorianos), somos chamados a renovar o nosso laço político com a comunidade, escolhendo...