FESTA DA SOLIDARIEDADE 2019

É já na próxima sexta-feira que Vila Real será a capital da solidariedade

É já na próxima sexta-feira que se realiza a XIII Festa da Solidariedade, que irá transformar Vila Real na capital do espírito solidário.
Da parte da manhã, a CNIS promove o seminário «Garantir os Valores com Sustentabilidade Financeira – Desafio para as Instituições».
O evento tem início agendado para as 10h00, nos claustros do edifício do antigo Governo Civil de Vila Real (n.º 3 do Largo Conde de Amarante), e conta com a participação de Henrique Rodrigues, assessor da Direção da CNIS, Marco António Costa, ex-secretário de Estado da Segurança Social, e Nuno Mota Pinto, vogal da Comissão Executiva do Banco Montepio, sendo a sessão moderada pelo padre José Baptista, da Direção da CNIS.
Após um período de debate, os trabalhos serão encerrados pelo padre Lino Maia, presidente da CNIS, e por Cláudia Joaquim, secretária de Estado da Segurança Social, cuja presença ainda está sujeita a confirmação.
A participação é gratuita, mas de inscrição obrigatória (AQUI).
Esta é uma iniciativa que ocupará a manhã de dia 7, estando prevista, já da parte da tarde, a passagem da Chama da Solidariedade por diversas IPSS da cidade de Vila Real rumo ao largo fronteiro aos Paços do Concelho, onde decorrerá a Festa da Solidariedade, com atuação de vários grupos oriundos de diversas instituições e ainda as intervenções institucionais, sendo, uma vez mais, esperada a presença do ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Vieira da Silva.
Entretanto, a Chama da Solidariedade anda desde o dia 10 de maio a percorrer diversos concelhos do distrito de Vila Real, tendo já passado, com grande entusiasmo e participação das IPSS locais e das várias comunidades, por Valpaços, Boticas, Mesão Frio, Sabrosa, Vila Pouca de Aguiar, Chaves, Santa Marta de Penaguião, Montalegre e Alijó. Até chegar na quinta-feira (dia 5 de junho) à cidade de Vila Real, o facho solidário ainda passa por Mondim de Basto e Peso da Régua.

 

Data de introdução: 2019-06-03



















editorial

ANO NOVO – NOVOS DESAFIOS

(...) Deve relevar-se como um passo muito significativo o compromisso constante do Pacto de Cooperação, no sentido de o Estado e as Instituições deverem repartir de forma equitativa os encargos com as respostas sociais em que existem...

Não há inqueritos válidos.

opinião

JOSÉ A. SILVA PENEDA

A revisão do Pacto para a Solidariedade
Nos últimos dias do ano transato os Presidentes da Associação Nacional dos Municípios Portugueses (AMNP), da Associação Nacional de Freguesias (ANAFRE), da...

opinião

EUGÉNIO FONSECA, PRES. CONF. PORT. DO VOLUNTARIADO

ESTRATÉGIA NACIONAL DE COMBATE À POBREZA: Um nobre desafio a Portugal
Finalmente, foi aprovada uma Estratégia Nacional de Combate à Pobreza (ENCP). Apesar de haver aspetos importantes por conhecer, no que respeita a exequibilidade desta Estratégia, em...