DIA DA CNIS

Presidente da República presente na celebração de 15 de janeiro

O Dia da CNIS, que se celebra a 15 de janeiro, vai contar, em 2018, com a presença do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa. A vontade de estar presente já terá sido confirmada ao líder da Confederação das Instituições de Solidariedade, padre Lino Maia.
Os órgãos sociais da Confederação estiveram reunidos em Fátima, no início deste mês, para definirem o figurino das celebrações do 15 de janeiro e para discutirem a adesão à Confederação da Economia Social Portuguesa (CESP).
Foi deliberado que o 37º aniversário será comemorado em Fátima e terá como convidados os membros de todos os órgãos sociais da CNIS, presidentes das Uniões Distritais e Federações associadas, elementos do Centro de Estudos, e muitos representantes de IPSS, bem como convidados especiais. Esperam-se mais de 300 pessoas oriundas de todo o território nacional.
O programa do Dia da CNIS está praticamente concluído, incluindo, de manhã, uma conferência sobre “valores e identidade da solidariedade”, com personalidades de renome nacional, onde serão abordados temas como autonomia e a cooperação no mundo social solidário.
À tarde haverá uma sessão de esclarecimento sobre a adesão da CNIS à CESP, dando cumprimento à última decisão da Assembleia Geral Extraordinária, de novembro. A discussão e votação final será feita em AG Extraordinária, em Março.
A CNIS, Confederação Nacional das Instituições de Solidariedade, faz 37 anos no dia 15 de Janeiro de 2018. É um momento importante para a organização que congrega a maioria das IPSS portuguesas.
Lino Maia recorda que “a União das IPSS começou com muita gente, hoje é muito mais, a que está na CNIS, mas o espírito de comunhão mantém-se. São 37 anos em que muitos, e muito bem, se deram a este mundo da solidariedade social. Em nenhum outro país encontramos tanta gente e tão empenhada na solução dos problemas da comunidade”.

 

Data de introdução: 2017-12-07



















editorial

ANO 2023: DIFÍCIL E DECISIVO

É com muitas dúvidas e algumas certezas que se perspetiva o ano agora iniciado, que poderá ser tão difícil quanto decisivo. 

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA, PRES. CONF. PORTUGUESA DO VOLUNTARIADO

Novo Ano, novos e exigentes desafios para as IPSS
Antes de mais quero desejar, para 2023, todo o bem aos atuais e aos próximos Órgãos Sociais da CNIS, assim como a todas e todos que compõem a rede das IPSS, em Portugal. Ao...

opinião

JOSÉ A. SILVA PENEDA

O significado de alguns dados do último recenseamento
Em cada dez anos o Instituto Nacional de Estatística responsabiliza-se por proceder à elaboração do Recenseamento Geral da População e do Recenseamento Geral da...