INE

Taxa de desemprego em queda no mês de dezembro

A taxa de desemprego situou-se nos 10,2% em dezembro, segundo a estimativa provisória divulgada pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), que manteve o valor de 10,5% para novembro.
A estimativa provisória da população desempregada em dezembro foi de 519,5 mil pessoas e a da população empregada foi de 4,587 milhões de pessoas.
Em novembro de 2015, a taxa de desemprego situou-se nos 10,5%, menos 0,1 pontos percentuais face ao mês anterior (0,4 pontos percentuais face a três meses antes) e num valor igual à estimativa provisória divulgada há um mês.
“Constitui também o valor mais baixo observado desde abril de 2009 (10,3%)”, destaca o INE.
A estimativa definitiva da população desempregada de novembro foi de 537,7 mil pessoas, tendo diminuído 1,3% em relação ao mês precedente (menos 7,2 mil pessoas), enquanto a população empregada foi estimada em 4,581 milhões de pessoas, mantendo-se praticamente inalterada face ao mês anterior.
Em dezembro de 2015, a taxa de desemprego registada foi de 12,2%.
A taxa de desemprego das mulheres (10,3%) excedeu a dos homens (10,0%) em 0,3 pontos percentuais, tendo a primeira diminuído 0,2% e a segunda 0,5%.
A taxa de desemprego dos jovens situou-se em 26,4% e diminuiu 0,8 pontos percentuais em relação ao mês precedente, enquanto a dos adultos foi de 8,9% e diminuiu 0,3% em relação ao mês de novembro.
Segundo o INE, a diminuição mensal da taxa de desemprego foi acompanhada por um decréscimo, tanto da população desempregada (1,2%, o equivalente a 6,3 mil pessoas), como da população empregada (0,2%, 9,1 mil pessoas).
Para a redução homóloga contribuiu a diminuição da população desempregada (14,3% ou 90,7 mil pessoas) e o aumento da população empregada (em 1,8%, correspondente a 82,7 mil pessoas).

 

Data de introdução: 2017-01-30



















editorial

SUSTENTABILIDADE

Quando o XXIV Governo Constitucional dá os primeiros passos, o Sector Social Solidário, que coopera com o Estado, deve retomar alguns dossiers. Um deles e que, certamente, se destaca, é o das condições de sustentabilidade que constituem o...

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA

Agenda 2030 e as IPSS
Em Portugal é incomensurável a ação que as cerca de 5 mil Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) existentes, têm vindo a realizar.  As...

opinião

PAULO PEDROSO, SOCIÓLOGO, EX-MINISTRO DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE

A gratuitidade das creches entre o reforço do setor social e a privatização liberal
 A gratuitidade das creches do sistema de cooperação e das amas do Instituto de Segurança Social, assumida pela Lei Nº 2/2022, de 3 de janeiro, abriu um capítulo novo...