IMIGRAÇÃO

Plataforma quer chamar a atenção do poder local

A Plataforma das Organizações de Imigrantes vai lançar um memorando autárquico para sensibilizar o poder local para a integração dos imigrantes. Segundo anunciou o porta-voz da estrutura, Mamodou Ba “pretende-se apelar ao poder local para necessidade de se criar estruturas que facilitem a integração dos imigrantes". Apesar da data ainda não estar definida, o memorando será lançado por ocasião das eleições autárquicas, que se realizam em Outubro.

No final do plenário deste fim-de-semana, da Plataforma das Organizações de Imigrantes, que reúne várias associações de imigrantes e anti-racistas, as centrais sindicais CGTP e UGT e a Obra Católica, o mesmo responsável sublinhou que ainda está por decidir se o documento será entregue nas estruturas dos partidos políticos ou distribuído nas cidades onde se concentram mais imigrantes.

No plenário foi ainda lançado um abaixo-assinado para exigir "uma verdadeira política de imigração" em Portugal. A legalização de todos os estrangeiros, alterações às leis da Nacionalidade e da Imigração e a criação de políticas sociais que permitam um acesso mais facilitado à educação, habitação e saúde são as reivindicações que estão na origem do abaixo-assinado, explicou Mamodou Ba.

O documento apenas será assinado por personalidades que se destacam em Portugal no desporto, cultura, política e social. "O abaixo-assinado pretende dar maior visibilidade à situação dos imigrantes por isso vamos convidar personalidades públicas portuguesas a subscrevê-lo", salientou.

De acordo com Mamodou Ba, o abaixo-assinado será entregue no início de Julho ao Presidente da República, Governo e Assembleia da República.
A plataforma estima que vivam em Portugal cerca de 120 mil imigrantes ilegais. De acordo com o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, em 2004 residiam legalmente no país perto de 500 mil estrangeiros.

 

Data de introdução: 2005-06-03



















editorial

IDENTIDADE E AUTONOMIA DAS IPSS

As IPSS constituem corpos intermédios na organização social, integram a economia social e são autónomas e independentes do Estado por determinação constitucional.

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA

Eleições Europeias são muito importantes
Nas últimas eleições para o Parlamento Europeu foi escandaloso o nível de abstenção. O mesmo tem vindo a acontecer nos passados atos eleitorais europeus

opinião

PAULO PEDROSO, SOCIÓLOGO, EX-MINISTRO DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE

Habitação duradoura – a resposta que falta aos sem abrigo
As pessoas em situação de sem-abrigo na Europa, em 2023 serão cerca de 900 mil, segundo a estimativa da FEANTSA (Federação Europeia das Associações...