CECAJUVI, BAIÃO

Desfile de noivas foi casamento perfeito com a comunidade

Para comemorar o 16º aniversário, o CECAJUVI, Centro de Convívio e Apoio à Juventude e Idosos de Santa Leocádia, uma IPSS de Baião, organizou um Desfile Intergeracional de Vestidos de Noiva do Século XX. 

A iniciativa partia do princípio arriscado de que as mulheres, mães e avós, das freguesias vizinhas da zona geográfica da instituição, não se importariam de retirar dos armários os vestidos brancos com que foram levadas ao altar, o cederiam por uma noite a filhas, netas, amigas ou mesmo desconhecidas, para que o mostrassem num desfile público.

Foi um estrondoso sucesso. 45 vestidos de noiva foram inscritos, juntamente com o mesmo número de modelos, na maioria jovens. “Ficamos surpreendidos pela adesão”, explica a Directora Técnica do CECAJUVI, Liliana Soares, que coordenou toda a iniciativa. “ Os vestidos foram preparados, alguns beneficiaram de pequenos arranjos, e muita gente visitou, pela primeira vez a instituição.”

O mais curioso foi verificar a intergeracionalidade. As avós, mães e netas envolveram-se nas actividades de adequação das peças nupciais e nos ensaios, recordando os tempos do namoro e do casamento, revendo-se na juventude dos modelos, trocando estórias, memórias e experiências.

Na noite do desfile, a comunidade onde o CECAJUVI presta serviço social, designadamente as freguesias de Santa Leocádia, Mesquinhata, Ribadouro e Ancede, compareceu em massa. O palco foi condignamente preparado, com um corredor atapetado de vermelho, para se assemelhar a uma passerelle, com iluminação a condizer. À volta, uma população curiosa constituída sobretudo por famílias inteiras desfrutou de uma noite de recordações, sublinhadas aqui e ali por lágrimas de alegria nostálgica.

O Desfile dos vestidos foi organizado e apresentado por anos. Cada passagem era acompanhado pela informação sobre a noiva que o usou a sério, a modelo que o exibia, com projecção de fotografias do momento do enlace matrimonial e musicado com um tema conhecido do ano do casamento. Foi uma viagem no tempo com alguns vestidos de antes do 25 de Abril de 1974 a fazerem furor. Todas as modelos desfilaram com um girassol na mão, à excepção da noiva da Revolução que trocou o girassol por cravos vermelhos.

Liliana Soares destaca a importância da iniciativa em dois aspectos: “Juntou as famílias na recordação mais importante das suas vidas e, ao mesmo tempo, trouxe a comunidade até ao CECAJUVI de uma forma nunca antes vista.”

Agora vai ser preciso gerir muito bem o sucesso. É que na noite de 29 de Agosto, data do Desfile Intergeracional de Vestidos de Noiva do Século XX, já houve tentativas de inscrição para o próximo ano.

Foi um casamento perfeito entre o CECAJUVI e a comunidade que serve.

 

Data de introdução: 2014-09-05



















editorial

ANO 2023: DIFÍCIL E DECISIVO

É com muitas dúvidas e algumas certezas que se perspetiva o ano agora iniciado, que poderá ser tão difícil quanto decisivo. 

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA, PRES. CONF. PORTUGUESA DO VOLUNTARIADO

Novo Ano, novos e exigentes desafios para as IPSS
Antes de mais quero desejar, para 2023, todo o bem aos atuais e aos próximos Órgãos Sociais da CNIS, assim como a todas e todos que compõem a rede das IPSS, em Portugal. Ao...

opinião

JOSÉ A. SILVA PENEDA

O significado de alguns dados do último recenseamento
Em cada dez anos o Instituto Nacional de Estatística responsabiliza-se por proceder à elaboração do Recenseamento Geral da População e do Recenseamento Geral da...