CECAJUVI, BAIÃO

Desfile de noivas foi casamento perfeito com a comunidade

Para comemorar o 16º aniversário, o CECAJUVI, Centro de Convívio e Apoio à Juventude e Idosos de Santa Leocádia, uma IPSS de Baião, organizou um Desfile Intergeracional de Vestidos de Noiva do Século XX. 

A iniciativa partia do princípio arriscado de que as mulheres, mães e avós, das freguesias vizinhas da zona geográfica da instituição, não se importariam de retirar dos armários os vestidos brancos com que foram levadas ao altar, o cederiam por uma noite a filhas, netas, amigas ou mesmo desconhecidas, para que o mostrassem num desfile público.

Foi um estrondoso sucesso. 45 vestidos de noiva foram inscritos, juntamente com o mesmo número de modelos, na maioria jovens. “Ficamos surpreendidos pela adesão”, explica a Directora Técnica do CECAJUVI, Liliana Soares, que coordenou toda a iniciativa. “ Os vestidos foram preparados, alguns beneficiaram de pequenos arranjos, e muita gente visitou, pela primeira vez a instituição.”

O mais curioso foi verificar a intergeracionalidade. As avós, mães e netas envolveram-se nas actividades de adequação das peças nupciais e nos ensaios, recordando os tempos do namoro e do casamento, revendo-se na juventude dos modelos, trocando estórias, memórias e experiências.

Na noite do desfile, a comunidade onde o CECAJUVI presta serviço social, designadamente as freguesias de Santa Leocádia, Mesquinhata, Ribadouro e Ancede, compareceu em massa. O palco foi condignamente preparado, com um corredor atapetado de vermelho, para se assemelhar a uma passerelle, com iluminação a condizer. À volta, uma população curiosa constituída sobretudo por famílias inteiras desfrutou de uma noite de recordações, sublinhadas aqui e ali por lágrimas de alegria nostálgica.

O Desfile dos vestidos foi organizado e apresentado por anos. Cada passagem era acompanhado pela informação sobre a noiva que o usou a sério, a modelo que o exibia, com projecção de fotografias do momento do enlace matrimonial e musicado com um tema conhecido do ano do casamento. Foi uma viagem no tempo com alguns vestidos de antes do 25 de Abril de 1974 a fazerem furor. Todas as modelos desfilaram com um girassol na mão, à excepção da noiva da Revolução que trocou o girassol por cravos vermelhos.

Liliana Soares destaca a importância da iniciativa em dois aspectos: “Juntou as famílias na recordação mais importante das suas vidas e, ao mesmo tempo, trouxe a comunidade até ao CECAJUVI de uma forma nunca antes vista.”

Agora vai ser preciso gerir muito bem o sucesso. É que na noite de 29 de Agosto, data do Desfile Intergeracional de Vestidos de Noiva do Século XX, já houve tentativas de inscrição para o próximo ano.

Foi um casamento perfeito entre o CECAJUVI e a comunidade que serve.

 

Data de introdução: 2014-09-05



















editorial

O COMPROMISSO DE COOPERAÇÃO: SAÚDE

De acordo com o previsto no Compromisso de Cooperação para o Setor Social e Solidário, o Ministério da Saúde “garante que os profissionais de saúde dos agrupamentos de centros de saúde asseguram a...

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA

Imigração e desenvolvimento
As migrações não são um fenómeno novo na história global, assim como na do nosso país, desde os seus primórdios. Nem sequer se trata de uma realidade...

opinião

PAULO PEDROSO, SOCIÓLOGO, EX-MINISTRO DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE

Portugal está sem Estratégia para a Integração da Comunidade Cigana
No mês de junho Portugal foi visitado por uma delegação da Comissão Europeia contra o Racismo e a Intolerância do Conselho da Europa, que se debruçou, sobre a...