CONSUMO

Os consumidores têm direitos

Os portugueses estão cada vez mais informados, registando-se um acréscimo do número de reclamações apresentadas à DECO. No ano passado, a Associação Portuguesa para a Defesa dos Consumidores (DECO) contabilizou cerca de 120.000 queixas, sobretudo nas áreas das telecomunicações, prestação de serviços públicos essenciais, construção civil e lavandarias.
Hoje assinala-se o Dia Mundial dos Direitos do Consumidor.

Mais de 40 anos depois de ter sido instituído o Dia Mundial dos Direitos do Consumidor, "os consumidores estão mais informados, sabem que lhes assiste determinado tipo de direitos", considera Ana Cristina Tapadinhas, da associação.

Portugal é dos poucos países do mundo em que os direitos do consumidor estão consagrados constitucionalmente, e a efeméride vai ser comemorada por todo o país com iniciativas promovidas pelo Instituto do Consumidor (IC), autarquias e movimentos associativos.

O Dia Mundial dos Direitos do Consumidor tem origem em 1962, quando o Presidente Kennedy, dos Estados Unidos, enunciou perante o Congresso os quatro direitos fundamentais do consumidor: direito à saúde e à segurança, direito à informação, direito à escolha consciente e direito à representação e à auscultação.

 

Data de introdução: 2005-03-22



















editorial

As amas em Creche Familiar

Publica-se neste número do “Solidariedade” o texto do acordo com a FSUGT, na parte que contempla também os novos valores de remunerações acordado para vigorar a partir de 1 de janeiro de 2024.

Não há inqueritos válidos.

opinião

EUGÉNIO FONSECA

A propósito do contributo da CNIS para as próximas eleições
É já tradição que as organizações de diferentes âmbitos, aproveitem os atos eleitorais para fazerem valer as suas reivindicações mais...

opinião

PAULO PEDROSO, SOCIÓLOGO, EX-MINISTRO DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE

Cuidar da democracia
Neste ano vamos a eleições pelo menos duas vezes (três para os açorianos), somos chamados a renovar o nosso laço político com a comunidade, escolhendo...