CARTA ÀS INSTITUIÇÕES - JANEIRO DE 2010

SENHOR (ª) PRESIDENTE

“Nas circunstâncias actuais, (…) o caminho do nosso futuro tem de assentar em (…) apoio social aos mais vulneráveis e desprotegidos e às vítimas da crise”, assim o recordou o Senhor Presidente da República na mensagem para o novo ano.
É um alerta que se regista e para o qual os dirigentes das Instituições de Solidariedade estão bem sensíveis.
Espera-se que “outros” sejam arrastados para a causa…

1. ANO EUROPEU DE COMBATE À POBREZA E EXCLUSÃO SOCIAL

A Comissão Europeia anunciou 2010 como o Ano Europeu do Combate à Pobreza e à Exclusão Social (AELCPES), edição que coincide com a celebração dos dez anos da estratégia de crescimento e emprego (conhecida como “Estratégia de Lisboa”).
Pela sua matriz voluntária e solidária e pela sua grande capilaridade, pelas suas expressões, motivações, origens e respostas e, também, pelos seus eficazes envolvimentos, as Instituições Particulares de Solidariedade Social estão na vanguarda da efectiva luta contra a pobreza. Até porque os seus dirigentes, voluntários, elegem os mais carenciados como o seu alvo preferencial e fazem-nos incluir nas suas apostas de desenvolvimento local, nas suas iniciativas de apoio, de lazer e de saúde, nas suas intervenções na comunidade, nas suas múltiplas valências, nos seus planos ou projectos de acompanhamento e educativos e nos seus programas de saúde, ambientais, lúdicos ou promocionais. Inovar ignorando tudo isso poderá ser um percurso sinuoso de resultado contraditório.
A pobreza atenua-se com medidas. Algumas poderão parecer assistencialistas e poderão não determinar eficazmente um processo autonómico dos pobres.
Mas não serão suficientes. As Instituições de Solidariedade são exemplos: neste ano de 2010 vão dar mais um sinal. Não devem ficar isoladas.
A pobreza combate-se e erradica-se com determinação e com envolvimentos. Dos pobres, das comunidades, das empresas, dos produtores de riqueza (empregadores e trabalhadores) e dos que ousam sonhar uma sociedade justa e livre. Também daqueles a quem se confiaram mais responsabilidades e do Estado.

2. CALENDARIZAÇÃO DE ACTIVIDADES

É bom que as assembleias-gerais e outras iniciativas “públicas”, abertas à comunidade, sejam marcadas com boa antecedência e que amplamente sejam divulgadas no sentido de assegurar significativa presença de associados. Ao calendarizar as assembleias-gerais e outras iniciativas da sua Instituição tenha em atenção o agendamento das iniciativas da sua União e que a CNIS tem Assembleias-gerais em 27 de Março e 13 de Novembro e Chama e Festa da Solidariedade em Setembro.

3. DIAS CELEBRATIVOS

Os dias comemorativos sucedem-se: ““Dia da CNIS” (15 de Janeiro) “Dia Mundial da Religião” (18 de Janeiro), “Dia Mundial da Liberdade” (23 de Janeiro), “Dia Mundial dos Leprosos” e “Dia Escolar da Não-violência e da Paz” (30 de Janeiro), “Dia Mundial da Criança com Cancro” (14 de Fevereiro), “Dia Europeu da Vítima de Crime” (22 de Fevereiro).
Não deixe de promover na sua Instituição iniciativas de sensibilização e celebração.

4. ENCONTROS REGIONAIS

No sentido de favorecer o conhecimento mútuo e de possibilitar a todas as Instituições oportunidades de se fazerem ouvir e de partilharem dúvidas, experiências e respostas, a CNIS agendou um programa de encontros regionais com as IPSS e com as Uniões Distritais. Com os seus assessores, a Direcção está a percorrer todo o país e dá a esses encontros regionais grande importância.
Já se realizaram 4 encontros: em Chaves (Bragança, Vila Real e Viseu), Juncal (Aveiro, Coimbra, Leiria e Santarém), Trofa (Braga, Porto e Viana do Castelo) e Castelo Branco (Castelo Branco, Guarda e Portalegre).
O próximo encontro, o quinto será no dia 30 de Janeiro, em Beja (Seminário de Beja, na Rua D. Afonso Henriques, 1 A), para os distritos de Beja, Évora e Faro.
O 6º será em Lisboa, em 27 de Fevereiro, para os distritos de Lisboa e Setúbal.

5. INOVSOCIAL

O Programa INOVSOCIAL, destinado ao apoio à realização de estágios profissionais de jovens licenciados em Instituições da economia social, recentemente aprovado pelo Governo, será apresentado no próximo dia 12 de Janeiro, às 11h30, no Auditório 1 do Centro de Reuniões da FIL, no Parque das Nações em Lisboa, numa cerimónia presidida pela Ministra do Trabalho e da Solidariedade Social.
Trata-se de um programa desenhado expressamente para apoiar a inserção profissional de jovens em Instituições do Sector Social e, desse modo, contribuir, quer para melhorar a empregabilidade dos jovens, quer para melhorar o funcionamento das nossas instituições.
A CNIS considera este Programa de grande importância, pelo que será do maior interesse, para um completo conhecimento do mesmo e das condições de candidatura, que haja uma grande participação de todos nesta cerimónia.
Apelo por isso à presença de todos.

6. UNIÕES DISTRITAIS/REGIONAIS

No cumprimento dos respectivos Estatutos, as várias Uniões Distritais vêm realizando assembleias eleitorais para a constituição/renovação dos seus órgãos sociais, facto digno de destaque.
No presente momento, em apenas três distritos não está encerrado/regularizado o processo de constituição de Uniões Distritais de IPSS…


Com os cumprimentos de respeito e consideração,

Porto, 6 de Janeiro de 2010

O presidente da CNIS

____________________
(Lino Maia, padre)

 

Data de introdução: 2010-01-07



















editorial

XXII GOVERNO CONSTITUCIONAL

(...) Sendo o Sector Social e Solidário um importante pilar do Estado Social e o principal agente na proteção social direta, estranha-se o quase desconhecimento da cooperação no programa do Governo já que as anteriormente citadas e...

Não há inqueritos válidos.

opinião

JOSÉ A. DA SILVA PENEDA

Sobre um pensamento de JORGE DE SENA
Este ano comemora-se o centésimo aniversário de Jorge de Sena que nos deixou uma obra colossal. É da sua autoria a seguinte frase: “A verdadeira dimensão do humano...

opinião

ANTÓNIO JOSÉ DA SILVA

América Latina: de novo em foco
Houve tempos em que a América Latina constituía um tema importante e recorrente no espaço que os Meios de Comunicação dedicavam à vida política...