FUNDAÇÃO AFID DIFERENÇA

Duas exposições de arte levam instituição para fora de portas

Duas exposições de trabalhos artísticos dos utentes da Fundação AFID Diferença, «(A)MOSTRA» e «Sem Filtro», estão patentes até ao dia 15 de março, em Lisboa e na Amadora.
«(A)MOSTRA» exibe trabalhos de cerâmica, papel, pintura e tecelagem e decorre na Galeria «A Arte da Terra», junto à Sé, em Lisboa.
“É neste espaço e enquadramento que as obras produzidas nas oficinas artísticas da Fundação AFID Diferença vão ser mostradas por artistas diferentes, ombreando com artistas de excelência. Estou convicto que será uma excelente «(A)MOSTRA» do que somos capazes de fazer”, referiu o presidente do Conselho Executivo da AFID, Domingos Rosa.
A «Arte da Terra» comercializa peças artísticas e de artesanato de grande qualidade, produzidas por artistas e artesãos de renome nacional e internacional, expostas num magnífico espaço de paredes em pedra com nichos, também em pedra, que servem de expositores das obras de arte, situado na zona antiga de Lisboa. É uma galeria com aspeto rústico, muito visitada por turistas, que procuram o encantamento que a arte lhes proporciona.
Já a Galeria Municipal Artur Bual – Casa Aprígio Gomes –, na Amadora, recebe a «Sem Filtro», uma exposição coletiva de trabalhos de pintura, desenho, cerâmica, têxtil, arte decorativa e modelagem de papel realizados por artistas das diversas instituições sociais do concelho.
Pela primeira vez, a Câmara Municipal da Amadora agregou numa única exposição o resultado da veia artística dos utentes das instituições da área da deficiência do concelho: Fundação AFID Diferença, Amorama, Cerciama e a Recomeço.
“Esta é uma excelente oportunidade de verificar «sem filtro» os excelentes trabalhos produzidos por pessoas diferentes mas de grande capacidade artística, capazes de «filtrar» o que de bom e mau existe nesta sociedade, muitas vezes pouco «filtrado»”, sustentou Domingos Rosa, deixando um convite: “Esperamos contar com a presença de todos! Até lá mantenham-se «filtrados e infiltrados» na arte, pois irão ser compensados pela cor, brilho, traço, afetos e carinho que todas estas obras nos oferecem”.
A mostra tem entrada livre e está aberto ao público até dia 15 de março.

 

Data de introdução: 2018-03-05



















editorial

CASAS DO POVO

1. As Casas do Povo foram criadas no regime do "Estado Novo" pelo Decreto-Lei n.º 23 051, de 23 de setembro de 1933, como peça chave da organização corporativa do trabalho rural. Funcionavam como organismos de...

Não há inqueritos válidos.

opinião

PADRE JOSÉ MAIA

Democracia à prova!
Portugal vai confrontar-se, a curto prazo, com um conjunto de testes à sua forma de organização como sociedade democrática!

opinião

ANTÓNIO JOSÉ DA SILVA

Comércio Internacional: a outra guerra
Parece que o mundo ultrapassou recentemente mais uma crise ameaçadora para a Paz no mundo. Falamos, claro está, da surpreendente aproximação entre a Coreia do Norte e os Estados...