COMISSÃO DE PROTEÇÃO DE CRIANÇAS E JOVENS

Rosário Farmhouse é a nova presidente

Rosário Farmhouse é a nova presidente da Comissão Nacional de Promoção dos Direitos e Proteção das Crianças e Jovens (CNPDPCJ), substituindo no cargo o juiz conselheiro Armando Leandro, que pediu para deixar o cargo.
A nomeação de Rosário Farmhouse foi divulgada no Facebook da CNPDPCJ e confirmada por uma fonte do Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, segundo a qual a nova presidente já assumiu funções.
A Comissão divulga ainda no seu Facebook a mensagem do juiz conselheiro Armando Leandro dirigida a todas as Comissões de Proteção de Crianças e Jovens.
Na carta, Armando Leandro, que presidiu à comissão durante 12 anos, explica que cessou funções a seu pedido e agradece a cooperação e o trabalho desenvolvido pelas comissões de proteção de crianças e jovens ao longo dos anos.
“Venho saudar, com muito apreço, admiração e estima, todas as CPCJ [Comissão de Proteção de Crianças e Jovens] e seus membros atuais e anteriores, salientar o muito valioso trabalho que vêm desenvolvendo em favor das crianças, jovens, famílias e comunidades, e agradecer, penhoradamente, toda a muito prestimosa cooperação e as sensibilizantes e amigas atenções com que sempre tiveram a bondade de me honrar e enriquecer a minha aprendizagem humana e funcional”, afirma Armando Leandro na missiva.
Deseja ainda “votos das maiores felicidades” a todos que integram as comissões, convicto de que “continuarão na senda da realização cada vez mais conseguida” da sua “missão nobilíssima, essencial a um desenvolvimento individual e comunitário justo e de qualidade”.
Armando Leandro, 82 anos, assumiu o cargo de presidente da Comissão Nacional de Proteção de Crianças e Jovens em Risco em setembro de 2005, tendo publicado vários trabalhos ligados à sua especialidade, nomeadamente sobre temas de Direito de Menores e de Família.
A nova presidente da CNPDPCJ, Rosário Farmhouse, foi diretora do Serviço Jesuíta aos Refugiados de Portugal, entre janeiro de 2003 e fevereiro de 2008, e exerceu as funções de Alta Comissária para a Imigração e Diálogo Intercultural.

 

Data de introdução: 2017-11-16



















editorial

CASAS DO POVO

1. As Casas do Povo foram criadas no regime do "Estado Novo" pelo Decreto-Lei n.º 23 051, de 23 de setembro de 1933, como peça chave da organização corporativa do trabalho rural. Funcionavam como organismos de...

Não há inqueritos válidos.

opinião

PADRE JOSÉ MAIA

Democracia à prova!
Portugal vai confrontar-se, a curto prazo, com um conjunto de testes à sua forma de organização como sociedade democrática!

opinião

ANTÓNIO JOSÉ DA SILVA

Comércio Internacional: a outra guerra
Parece que o mundo ultrapassou recentemente mais uma crise ameaçadora para a Paz no mundo. Falamos, claro está, da surpreendente aproximação entre a Coreia do Norte e os Estados...