CONTRATAÇÃO COLETIVA

CNIS chega a acordo com Frente Sindical da UGT

A CNIS chegou a acordo com a Frente Sindical da UGT, Frente Nacional de Educação (FNE) e Outros, sobre a revisão para 2017 do Contrato Coletivo de Trabalho (CCT), relativamente às tabelas salariais.
Com este acordo a ter implicações orçamentais nas IPSS, e no sentido destas poderem desde já efetuar a programação do pagamento dos valores de retribuição que irão ser devidos, fica para conhecimento de todos o conteúdo dessa revisão, mesmo antes da sua publicação.
Com efeito, “a CNIS e a Frente Sindical da UGT, partes signatárias do Contrato Coletivo de Trabalho, publicado no Boletim de Trabalho e Emprego (BTE), nº 25, de 8 de Julho de2016, deliberaram acordar nos seguintes aspetos, relativos, quer à revisão das cláusulas de conteúdo pecuniário, nos termos da Cláusula 2ª, 2 do mesmo CCT, quer ao processo de revisão global do mencionado CCT”.

REMUNERAÇÕES

Tabela A: Nível XVIII – € 557; Nível XVII - € 561; Nível XVI - € 565; Nível XV - € 569; Nível XIV - € 579; Nível XIII - € 589; Nível XII - € 614; Nível XI - € 658; Nível X - € 706; Nível IX - € 755; Nível VIII - € 803; Nível VII - € 850; Nível VI - € 900; Nível V - € 948; Nível IV - € 999; Nível III - € 1.047; Nível II - € 1.111; Nível I - € 1.191.
Estes valores correspondem ao restabelecimento da diferenciação salarial correspondente aos Níveis XIV a XVIII da Tabela A, constantes do Anexo V ao CCT publicado no BTE, nº 25, de 08-07-2016, que ficaram indiferenciados em função da não atualização salarial em 2016, salvo a que resultou diretamente do aumento da Remuneração Mínima Mensal Garantida (RMMG), e ainda na repercussão dessa diferenciação no Nível XIII da mesma Tabela A.
Relativamente aos Níveis I a XII, os valores acordados resultam da aplicação de um fator de atualização de 1,2% relativamente aos valores de 2015, com arredondamento ao euro imediatamente inferior ou superior.
Quanto à Tabela B, há uma atualização em 0,5%, relativamente aos valores constantes do Anexo V do CCT publicado no BTE, nº 25, de 08-07-2016, com arredondamento ao euro imediatamente inferior ou superior.
(A título de exemplo, por ser o grupo profissional dominante, indicam-se os novos valores de retribuição relativos às Tabelas B-4 – educadores de infância e professores com licenciatura profissionalizados – e B-5 – educadores de infância e professores do ensino básico com habilitação).
Tabela B-4: Nível IX - € 844; Nível VIII - € 998; Nível VII - € 1.152; Nível VI - € 1.407; Nível V - € 1.487; Nível IV - € 1.657; Nível III - € 1.819; Nível II - € 1.937; Nível I - € 2.559.
Tabela B-5: Nível IX - € 837; Nível VIII - € 976; Nível VII - € 1.103; Nível VI - € 1.352; Nível V - € 1.455; Nível IV - € 1.613; Nível III - € 1.771; Nível II - € 1.892; Nível I - € 2.504.
No seguimento deste acordo, sem prejuízo da aplicabilidade do novo valor da RMMG, de 557 euros, a partir de 1 de Janeiro de 2017, os novos valores remuneratórios referidos anteriormente serão devidos a partir de 1 de Julho de 2017.
Por outro lado, ficou o compromisso de revisão global do CCT, entre Setembro de 2017 e Dezembro de 2017, acolhendo no processo de revisão, pelo menos, os seguintes princípios: flexibilização do conteúdo funcional das profissões constantes dos Anexos I, II e III, com simultânea diminuição das profissões constantes de tais Anexos; e reestruturação da carreira dos professores e educadores de infância.

 

Data de introdução: 2017-07-05



















editorial

OLHARES DEPOIS DA TRAGÉDIA

(...) E esta tragédia irrompeu abruptamente num país que parecia estar a despertar para uma esperança consolidada num futuro melhor... Agora, mais do que ficar paralisado com medo do que ainda estará para vir ou de levantar dedos acusadores, importa...

Não há inqueritos válidos.

opinião

ANTÓNIO JOSÉ DA SILVA

A política e a queda dos heróis
A política é uma área propícia ao nascimento ou à fabricação de “heróis”, mas nunca se sabe quanto tempo esse estatuto poderá...

opinião

PADRE JOSÉ MAIA

Fundamento da Comunidade Política
Nunca terá passado pela cabeça de ninguém e, sobretudo do Governo e da Comunidade Política, que um incêndio, como o de Pedrógão Grande, pudesse abalar os...